PR faz a primeira certificação depois da liberação pela Eurepgap

Agronegócio

PR faz a primeira certificação depois da liberação pela Eurepgap

A Fazenda Água Clara, no Norte do Paraná, foi a primeira a ser certificada dentro do protocolo Eurepgap IFA
Por: -Redação
3 acessos

A Fazenda Água Clara, que fica no município de Santo Inácio, no Norte do Paraná, foi a primeira propriedade a ser certificada dentro do protocolo Eurepgap IFA (Segurança Integrada de Fazenda/ Bovinos), depois que a organização, que representa os 70 maiores grupos varejistas da União Européia, aprovou a ração animal produzida no Brasil. O certificado foi entregue no último dia 13 em Londrina, de onde é o proprietário Antonio Carlos Prata Garcia, pela certificadora Instituto Genesis/IGCert.

As certificações Eurepgap na área de bovinos estavam paradas há mais de um ano porque havia divergências com relação à forma de fabricação e a alguns componentes da ração utilizada pelos produtores brasileiros, principalmente a adição de suplementos minerais. A partir de agora, somente rações industrializadas, prontas para o uso, deverão ser de fonte certificada Eurepgap. Com isso, os produtores poderão dar aos animais alimentos como suplemento mineral, aditivos, premix, forragens, sal e grãos, mesmo que estes não possuam certificação.

A Eurepgap decidiu, também, que as propriedades que apenas misturam os ingredientes da ração animal, desde que estes não sejam premix ou aditivos, não precisam mais obter um registro especial junto ao Ministério da Agricultura. Mas as fazendas onde o premix e aditivos são adicionados à ração, continuarão sendo obrigadas a obter esta licença junto ao Mapa.

Com o fim das divergências, todas as propriedades que estavam com os processos de certificação parados, poderão concluí-los agora. É o caso da Fazenda Água Clara, de 300 hectares, que fez a implementação das Normas Eurepgap em 2005. O processo acabou interrompido pela falta de um certificado de BPF (Boas Práticas de Fabricação) e também pela suspeita de um foco de febre aftosa, que deixou o Paraná de fora das exportações.

Com o anúncio da Eurepgap, no final de outubro, reconhecendo o Benchmarking (equivalência) do Sindicato Nacional da Indústria de Alimentação Animal (Sindirações), o processo foi reiniciado e aprovado, depois que auditores do Inmetro e inspetores do IGCert/Instituto Genesis e da Eurepgap vistoriaram a fazenda e constataram que a mesma está dentro das normas de Boas Práticas Agrícolas e ambientais exigidas pela organização européia. As informações são da assessoria de imprensa do Instituto Gênesis.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink