PR/Jaboti: a capital paranaense dos morangos

Agronegócio

PR/Jaboti: a capital paranaense dos morangos

Jaboti atinge produção anual de 4.600 toneladas da fruta
Por:
427 acessos

Receba Notícias como esta por email

Cadastre-se e receba nossos conteúdos gratuitamente
Obrigado por se cadastrar
  • Enviamos a você um email de boas vindas para ativação de seu cadastro.

Quem não gosta de morangos? A fruta pequena e saborosa geralmente encanta as crianças pela sua beleza e dá um toque todo especial às sobremesas e saladas de frutas. Imagine então 4.600 toneladas de morangos! Esta é a safra anual estimada no município de Jaboti. Com tamanha produção, a cidade é a maior produtora de morangos do Estado, de acordo com dados da Secretaria da Agricultura e Abastecimento do Paraná (Seab), sendo responsável por 17% da produção anual desta fruta, seguida de São José dos Pinhais com 13% dos morangos paranaenses.

Entre 20 e 25% dos 4.902 habitantes de Jaboti estão ligados direta ou indiretamente à produção do morango, isso faz da fruta a principal cultura no município que é essencialmente agrícola e também produz café, maracujá e leite. Com alta rentabilidade e grande produção em pequenas áreas o morango é a cultura ideal para os agricultores familiares, cerca de 300 famílias se dedicam a este cultivo.

"Atualmente o município tem cerca de 5,5 milhões de pés de morangos que estão distribuídos em 500 pequenas propriedades e somam aproximadamente 100 hectares", comenta o engenheiro agrônomo da Emater e secretário municipal de Agricultura, Pecuária e Meio Ambiente, Jean Pierre Correia Costa.

De acordo com ele, uma planta produz cerca de 850 gramas de morangos por safra. "No total os agricultores de Jaboti produzem mais de 4.600 toneladas de morangos e a venda deste produto rende mais de R$ 16 milhões", calcula.

Os morangos são embalados na própria lavoura em que são colhidos e como são altamente perecíveis, os frutos precisam ser escoados diariamente. A safra é distribuída e comercializada nos Ceasas dos municípios de Londrina, Maringá, Curitiba e Cascavel, além das cidades de Bauru e Presidente Prudente, no interior de São Paulo.

Com início no mês de março, a safra do morango segue até outubro, mas dependendo do manejo pode se estender até dezembro ou janeiro. O custo médio para o plantio de um hectare de morango é de cerca de R$ 94 mil e a produção desta área rende 46 mil quilos da fruta. "O preço da fruta varia durante a safra, mas se calcularmos um preço médio, a renda total do produtor pode chegar a R$ 160 mil", afirma o secretário. No entanto, para alcançar esse patamar é preciso muita dedicação. Há 17 anos o agricultor Donizete Barbosa trabalha cerca de 15 horas por dia na lavoura para colher e cuidar das plantas.

Para cultivar morangos, Donizete arrendou uma área de 0,6 hectare onde tem 30 mil plantas e na hora da colheira ele garante que toda a família coloca a mão na massa. "No pico da safra é preciso contratar de duas a três pessoas para ajudar, mas a mão de obra está muito cara e difícil de encontrar", comenta. Conforme o produtor, o maior desafio da cultura é conseguir comprar uma muda boa. "Dá para viver do morango, mas as mudas nacionais possuem qualidade inferior e adoecem com mais facilidade. As mudas importadas são muito caras, porém mais resistentes às pragas", salienta.
Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink