Praga da ferrugem se propaga em Primavera do Leste (MT)

Agronegócio

Praga da ferrugem se propaga em Primavera do Leste (MT)

Por:
4 acessos

A ferrugem asiática alastrou-se nas lavouras de soja em Primavera do Leste (230 km de Cuiabá), no Mato Grosso, levando alguns produtores rurais a abandonar a plantação e outros a fixar preço mínimo em R$ 33 a saca de 60 quilos. "Esse valor só cobre o custo, as dívidas com investimentos teremos que negociar a prorrogação do prazo", afirmou o produtor rural Gladir Caiatto.

Segundo ele, muitos sojicultores já fizeram cinco aplicações e não conseguiram conter o avanço do fungo. "Eu mesmo já fiz quatro aplicações e não tive resultado. Chove muito na região, lavando a lavoura", disse Caiatto. A decisão de fixar preço mínimo foi tomada em reunião na terça-feira (25-01) com 700 pessoas, entre produtores rurais e empresários de revenda.

"A proposta ainda será analisada pela Famato (Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso), Aprosoja (Associação dos produtores de Soja) e outros sindicatos", observou o produtor. Os sojicultores afirmam que a fixação do preço é uma forma de equilibrar os custos de produção. Os agricultores de Primavera do Leste querem formar um pacto cooperativo estadual em torno do preço mínimo. "Temos que nos unir para conseguirmos sair desse sufoco", ressaltou o produtor.

A intenção é abrir um processo de negociação das dívidas dos produtores junto às multinacionais, trades, instituições bancárias e revendas. O presidente do Sindicato de Primavera, José Nardes, reitera a necessidade de união da categoria. "A agricultura é um elo e se uma corrente quebrar todos os demais também sofrerão. Com o preço que a soja está sendo comercializada atualmente e com a perspectiva futura de em maio ser vendida a R$ 22 a saca, o produtor não consegue cumprir com seus compromissos, além de não ter recursos financeiros suficientes para garantir o próximo plantio", adverte Nardes.

O presidente da Famato, Homero Pereira, afirmou que a iniciativa pode ajudar, mas sozinha não é suficiente. A proposta de preço mínimo para a venda da soja foi apresentada pelo produtor Elirio Frison, similar à aprovada em Goiás essa semana. Nesse Estado, o preço mínimo estabelecido para soja foi de R$ 31,60 por saca, o milho a R$ 16,28 a saca e a arroba do algodão deve ser vendida por R$ 50,62.

As revendas, no entanto, querem que a proposta seja discutida com as multinacionais, pois não podem pagar pela diferença do valor praticado no mercado.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink