Praga descoberta em Roraima pode afetar abastecimento de banana em Manaus

Agronegócio

Praga descoberta em Roraima pode afetar abastecimento de banana em Manaus

A descoberta do problema levou o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento a determinar a suspensão temporária do trânsito da banana e de vegetais, palmeiras e plantas ornamentais tropicais, incluindo o coqueiro da Bahia, provenientes de Ro
Por:
361 acessos

Milhares de pessoas que vivem em Manaus e no entorno da cidade podem ficar sem banana nos próximos dias. Uma praga - o ácaro vermelho das palmeiras - está afetando a produção da fruta em Roraima, responsável por cerca de 80% do total de cachos consumidos na capital do Amazonas.

A descoberta do problema levou o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento a determinar a suspensão temporária do trânsito da banana e de vegetais, palmeiras e plantas ornamentais tropicais, incluindo o coqueiro da Bahia, provenientes de Roraima. Todos esses itens podem ser afetados pela praga.

O superintendente federal de Agricultura, Pecuária e Abastecimento no Amazonas, Edivar dos Santos Almeida, explicou, em entrevista à Agência Brasil, que o consumo de banana atingida pela praga - ou o contato com algum dos outros itens referenciados pelo ministério - não representa risco para a saúde. Ele ressaltou que a preocupação maior é com o agronegócio, pela importância econômica dessa relação entre os dois estados.

“A questão não é grave, mas deixa Roraima e Amazonas em estado de alerta por causa da importância econômica que esse comércio representa e também pela necessidade de impedir a proliferação da praga pelo restante do país”, analisou.

No último dia 31 de julho, depois de ser notificada pela Superintendência Federal da Agricultura sobre a descoberta da praga ácaro vermelho das palmeiras na produção de Boa Vista, a Comissão Executiva Permanente de Defesa Sanitária Animal e Vegetal (Codesav) do Amazonas apreendeu na rodovia BR-174, que liga Roraima e Amazonas, dois caminhões que vinham do estado vizinho com destino a Manaus. Cada veículo transportava 2,5 toneladas de banana. A carga foi enviada de volta, com o auxílio da Polícia Militar.

Segundo Almeida, há suspeita de que a praga tenha vindo da Venezuela por falha na fiscalização internacional. Ele confirmou que Manaus já percebe a escassez da banana em parte de seu território e, ainda, o aumento dos preços praticados no comércio.

De acordo com levantamento da Secretaria de Produção Rural do Amazonas (Sepror), Manaus recebe por dia, em média, 12 caminhões vindos de Roraima pela BR-174. Cada um desses veículos traz cerca de 12 toneladas de banana, além de arroz, melancia, madeira e pimenta de cheiro.

A Sepror informou que irá disponibilizar, nos próximos dias, transporte para que os municípios produtores de banana no estado possam enviar a Manaus parte de suas produções. A medida visa a evitar a falta da banana na capital e o aumento do preço do produto.

No Amazonas, os principais municípios produtores de banana são Manicoré, Manaquiri, Manacapuru e Presidente Figueiredo. Desses, a maior produção é em Manicoré, de onde só se pode chegar a Manaus por avião ou barco. A viagem por via fluvial dura três dias e o município está localizado a mais de 330 quilômetros de Manaus.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink