Prazo para obter AGF para fécula de mandioca está no fim

Agronegócio

Prazo para obter AGF para fécula de mandioca está no fim

O limite para a venda por produtor é de 90 mil quilos
Por:
388 acessos
Produtores de mandioca e cooperativas interessados no AGF (Aquisição do Governo Federal) devem agilizar a apresentação da documentação à Conab (Companhia Nacional de Abastecimento). O Governo disponibilizou R$ 4 milhões para a compra de fécula / amido de mandioca, no Estado do Paraná, para este mês (junho), e deverá liberar outros R$ 3 milhões no mês que vem.

O limite para a venda por produtor é de 90 mil quilos. “É urgente que a documentação seja entregue, sob risco de o produtor não conseguir recursos para este mês, devido às burocracias que envolvem as operações de compra pelo Governo”, alerta o Presidente da ABAM (Associação Brasileira dos Produtores de Amido de Mandioca), Ivo Pierin Júnior.

Para se credenciar para a operação, o produtor precisa acessar o site da Conab - www.conab.gov.br - e seguir as instruções contidas no Título 6 do MOC (Manual de Operações da Conab), que estão na página inicial do site, à esquerda. Dentro do Título 6 é preciso clicar sobre os documentos 1, 2, 4 e 55, onde constam os documentos que os produtores deverão apresentar na Conab, e demais informações sobre o processo. É importante ressalvar que, embora o item 55 preveja outros itens para operações com AGF, este, em específico, se destina à aquisição de fécula / amido de mandioca.

É necessário esclarecer ainda que, para que o produtor consiga efetivar a negociação com o Governo, é preciso que o produto (fécula / amido de mandioca) esteja depositado em armazéns credenciados pela Conab, o que deve ser comprovado por meio de recibo de depósito.

Depois de efetuar a armazenagem, deverá ser solicitada a classificação do produto, o que é feito pela Claspar (Empresa de Classificação do Paraná). Após isto, fiscais da Conab fazem visitas aos armazéns indicados pelos produtores, para se certificarem de que os trâmites burocráticos foram cumpridos.

Em reunião dos associados da ABAM acontecida neste fim de semana, em Paranavaí/PR, Pierin Júnior, alertou os industriais para que orientem os produtores que fornecem a raiz para suas empresas para que agilizem os procedimentos para a comercialização.

De acordo com ele, esses recursos são muito importantes para o setor, pois vão contribuir para a estabilização do mercado neste difícil momento da economia. Segundo ele, sem a participação do Governo neste momento, o setor se torna inviável, dada a dificuldade econômica em que se encontram as indústrias e os produtores de mandioca.
Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink