Preço da soja mato-grossense alcança preço histórico
CI
Agronegócio

Preço da soja mato-grossense alcança preço histórico

Por:

A comercialização antecipada da soja em Mato Grosso atingiu níveis históricos de preços para a safra 2003/04 com valorização de até 65% para a saca de 60 quilos. Além de contratos com a soja, vendida por até US$ 13,50, as projeções de mercado indicam que os preços se manterão em ascendência pelos próximos dois anos, motivados pela redução dos estoques mundiais do grão e pelo incremento da demanda, principalmente pelos chineses.

"Mesmo com o aumento produção ano a ano, principalmente aqui em Mato Grosso, não está sendo possível acompanhar a demanda mundial pelo consumo", explica o gerente da Única Corretora, Ovídio Girardello.

Com uma redução de pelo menos 2 milhões de toneladas no estoque de passagem - restante de uma safra para outra - os preços de contratos futuros para a soja mato-grossense, saíram de uma média de US$ 8,70 e US$ 8,80 para US$ 13,50, como foi assegurado com parte da safra super precoce do produtor Leandro Mussi, que iniciou o plantio em setembro e encerra a colheita até o próximo dia 27.

"Um valor bom, pois enquanto o mercado paga pela saca disponível aqui de Lucas do Rio Verde cerca de R$ 38 a R$ 38,50, o valor antecipado remunera em mais de um real", observa.

O gerente da Única Corretora acredita que mais de 99% da safra precoce de Mato Grosso esteja comprometida com venda antecipada, "mesmo o produtor tendo a necessidade de se capitalizar junto às instituições privadas, o mercado ofereceu o atrativo de boas cotações", resume Girardello.

Ele completa acrescentando que mesmo no decorrer da colheita os preços são serão deflacionados, "isso, se ocorrer, será o resultado da apresentação da intenção de plantio norte-americana entre março e abril de 2004", analisa Girardello.

Até lá, o mercado, impulsionado pela demanda chinesa, opera com a certeza de que os estoques mundiais estão reduzidos, passando de mais de 38 milhões de toneladas, no ciclo 02/03, para cerca de 36 milhões de toneladas.

"Isso significa dizer a cada mês o mundo consome aproximadamente 17 milhões de toneladas e se a produção parasse, haveria estoque para apenas dois meses. Durante um ano, a demanda mundial soma 204 milhões de toneladas", exclama Girardello.

Toda essa pujança relacionada à soja, tem outros desdobramentos para a produção estadual. "Sempre ao final do ano, todas as trades paralisam seus serviços para manutenção e revisão de seus equipamentos, e este ano algumas indústrias, como a Encomind Agroindustrial e a Sperafico da Amazônia, continuam em operação para dar escoamento ao que os produtores de Mato Grosso estão antecipando ao mercado", revela Girardello.

Mercado asiático

O mercado chinês é o foco da produção estadual. Para reforçar a exportação da soja a Única Corretora, firmou no final da semana passada em São Paulo, um contrato de venda direta com o governo Chinês para exportar nos primeiros meses de 2004 160 mil toneladas da oleaginosa, "mas a intenção é fechar vendas de um milhão de toneladas".

Segundo Girardello, a venda direta propricia maior margem de lucro para o produtor e amplia de forma gradativa a participação da Corretora no mercado. "Antes deste contrato, as nossas negociações eram intermediadas por trader´s", justifica.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink