MERCADO FÍSICO

Preço da soja sobe nos Portos

Fundamentos: “Ainda não é possível afirmar que haverá La Niña"
Por: -Leonardo Gottems
261 acessos

As cotações da soja tiveram um dia misto no mercado físico brasileiro, sem correspondência com o viés da Bolsa de Chicago (CBOT). Por exemplo, no interior do País, a saca de soja (60 quilos) foi vendida a R$ 54,52 em Sorriso (Mato Grosso). A cotação significou uma leve baixa de 0,18% sobre os R$ 54,62 oferecidos na última avaliação.

Já no Porto de Paranaguá (Paraná), a saca de 60 quilos da oleaginosa disponível subiu para o valor de R$ 75,00, o que representou uma valorização de 2,04% em relação à cotação anterior (R$ 73,50). Todos os preços são FOB (Free On Board – contrato de exportação com custos de transporte interno incluso até o carregamento do navio).

FUNDAMENTOS

“Os modelos de previsões de temperaturas oceânicas, o qual define fenômenos climáticos como o El Niño e La Niña, tem mostrado o esfriamento da zona do Oceano do Pacífico Equatorial. O qual, se resfriado em quantidades inferiores a -0.8 °C caracteriza uma restrição de chuvas para a região Sul do Brasil e grande parte da Argentina e Paraguai. Este fenômeno climático é denominado La Niña”, afirma a Consultoria AgResource.

Segundo o modelo de previsões da Agência de Meteorologia Australiana, em janeiro e fevereiro de 2018, o esfriamento desta região do Oceano Pacífico será exatamente de -0,8, no entanto deve voltar a reaquecer no mês de março: “Ainda não é possível afirmar que, de fato, irá ser formado um fenômeno climático na América do Sul, entretanto a tendência climática para tais regiões apresenta chuvas mais irregulares e abaixo da média para o período.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink