Preço do açúcar bruto brasileiro aumenta 62,92% no ano
CI
Imagem: Marcel Oliveira
COTAÇÕES

Preço do açúcar bruto brasileiro aumenta 62,92% no ano

Produção caiu mas contratos estão mais rentáveis
Por: -Eliza Maliszewski

Em meio às preocupações do mercado com uma queda na produção de açúcar na região Centro-Sul do Brasil, avaliação da S&P Global Platts para o período de embarque de maio mostra que o preço FOB (Free On Board) de Santos fechou 15 de abril em 16,39 centavos / lb, alta de 6,64% na semana e alta de 62,92% no ano.

O contrato de maio de açúcar na Bolsa de Nova York subiu 11,35% entre 1º de abril, primeiro dia oficial da safra 2021-22 Centro-Sul, e 15 de abril. Enquanto alguns traders sugeriram que o Centro-Sul do Brasil poderia ter menos cana do que inicialmente estimado para esmagar e, portanto, menos açúcar seria produzido, outros argumentaram que mesmo com menos cana, o açúcar total permaneceria próximo aos 36 milhões de toneladas estimados principalmente no mercado.

A última atualização da S&P Global Platts Analytics, em 26 de março, apontou para uma produção de açúcar no centro-Sul na safra 2021-22 em 35,6 milhões de toneladas, queda de 7% no ano, enquanto a moagem de cana foi estimada em 590 milhões de toneladas, abaixo dos 606 milhões de toneladas da safra anterior.

A avaliação da S&P Global Platts aponta que é difícil medir o tamanho da colheita nos primeiros 15 dias da nova estação de moagem e que, portanto, qualquer volatilidade forte, como a observada nos últimos três dias no contrato futuro de açúcar na Bolsa de Nova York, tem maior probabilidade de estar refletindo um movimento técnico, onde corretoras e fundos de hedge estão mudando suas posições.

Impacto no fornecimento de etanol

Se as preocupações do mercado estiverem corretas, e a região do Centro-Sul do Brasil tiver menos cana para moer e os produtores continuarem maximizando a produção de açúcar para se comprometerem com seus contratos de longo prazo, o segundo ponto principal é como a demanda doméstica de etanol será suprida.

Em um cenário de 590 milhões de toneladas moídas na safra 2021-22, a S&P Global Platts Analytics estima uma produção total de etanol de cana em 25,8 bilhões de litros, uma queda de 2 bilhões de litros no ano, que será parcialmente compensada por um aumento estimado de 731 milhões de litros na oferta de etanol de milho, mas ainda reduzindo em 1,27 bilhão de litros a oferta total de etanol no Brasil.

Somando-se à perspectiva de escassez doméstica, o Brasil dificilmente importará grandes volumes de etanol anidro em 2021, já que a forte desvalorização da moeda local em relação ao dólar americano manteve a arbitragem de importação dos Estados Unidos fechada desde agosto de 2020.

De acordo com cálculos da Platts de 9 de abril, o etanol anidro importado dos Estados Unidos, incluindo a tarifa de importação de 20%, poderia chegar a Suape a reais 4.761 / m³, ou R $ 1.891 / m³ a mais do que a avaliação da Platts DAP Suape.

Apesar da preocupação com a oferta de etanol, os produtores ainda são incentivados financeiramente a maximizar a produção de açúcar, uma vez que o mercado internacional ainda está pagando um prêmio alto pelo açúcar  na comparação com o etanol.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink