MERCADO

Preço do milho volta a subir na B3 e nos EUA

Quem comprou milho no início do mês está perdendo
Por: -Leonardo Gottems
495 acessos

As cotações do milho na B3 (antiga Bovespa) continuam sofreram uma correção técnica, observa a T&F Consultoria Agroeconômica. Nesta segunda-feira (23.04) voltaram a subir 0,65% para maio, 1,35% para julho, de 0,73% para setembro, de 0,78% em novembro, de 0,73% para janeiro e 0,19% março de 2019. 

Contudo, o índice Cepea para a B3 voltou a fechar em queda de 1,08% nesta segunda-feira, aprofundando o resultado mensal também para o terreno negativo, de 4,83%. “Isso significa que quem comprou milho no início do mês está perdendo este percentual neste momento”, comenta o analista Luiz Fernando Pacheco.

Na Bolsa de Chicago as cotações do milho fecharam em leve alta de 0,40% ou 2,0 cents/bushel, para 378,25/bushel, com movimentos técnicos e olhos fixos no clima e no plantio da safra deste ano. Ambos estão melhores e restringiram as altas do cereal nesta segunda-feira. 

FUNDAMENTOS

“Se sua empresa depende de milho paraguaio para abastecer suas granjas, fique de olho: o país terá 400 mil toneladas a menos de disponibilidade para exportação neste ano, graças ao aumento de sua industrialização de milho para a produção de etanol. Apesar de a área plantada ser projetada como a mesma do ano passado, a piora do clima faz prever uma queda de 4,88% da produção. Por outro lado, a indústria de etanol do país deverá absorver 6,15% a mais de milho no mercado interno. Estes dois fatores deverão resultar em uma disponibilidade para a exportação 27,04% ou cerca de 604 mil tons menor do que a do ano passado”, conclui Pacheco. 

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink