Preços agrícolas confirmam tendência de redução das altas
CI
Agronegócio

Preços agrícolas confirmam tendência de redução das altas

Por:

Os preços dos produtos agrícolas apresentaram alta de 2,24% na primeira quadrissemana de janeiro, recuando um pouco mais em relação às medições anteriores do Instituto de Economia Agrícola (IEA), da Secretaria de Agricultura do Estado de São Paulo. Em dezembro, o Índice de Preços Recebidos (IPR) pelos agricultores paulistas variou 2,35% - expressiva desaceleração na comparação com novembro, quando a alta dos preços chegou a 8,35%, por conta da influência dos repasses da escalada do dólar nos meses anteriores.

A comparação da primeira quadrissemana de janeiro com o mesmo período de dezembro sinaliza tendência de queda no índice, uma vez que os preços subiram 0,48 ponto percentual menos. A mais recente taxa de preços agrícolas é a menor desde a primeira pesquisa de setembro, antes dos preços começarem a refletir o impacto das altas do dólar a partir de julho.

O café ampliou a queda de preços em relação a dezembro, com variação negativa de 12,23%, a maior da primeira prévia de janeiro. O mesmo ocorreu com outros produtos, como a soja (retração de 3,20%, ante queda de 0,65% em dezembro) e a laranja (-8,45%, ante variação negativa de 2,09%). Também contribuíram para o recuo do indicador aumentos menores de preços como batata (6,54%, depois de crescer 12,75% no mês passado) e ovos (2,38%, ante 7,38%) e manutenção de estabilidade no arroz, leite e amendoim.

O milho teve importante desvalorização na primeira quadrissemana de janeiro, caindo 11,33% no IPR. Em dezembro, os preços do cereal já haviam recuado 13,29%. A queda foi o destaque da desaceleração do indicador para 2,24%, medido pelo IEA.

De acordo com o pesquisador do Instituto, Nelson Batista Martin, o resultado se deve ao início da colheita da safra 2002/2003 e à desova de estoques no mercado, o que mostra manutenção da tendência de redução dos preços. Em novembro, quando grande parte dos preços agrícolas dispararam em função do dólar e da entressafra, a saca de 60 kg do milho chegou perto dos R$ 27. Depois de caírem em dezembro, os preços se acomodam agora em torno dos R$ 23.

No geral, o grupo dos grãos, que inclui o café, apresentou variação negativa de 7,32% e, ao lado da redução das frutas (-7,48%) e do aumento das olerícolas (29,76%), levou os produtos de origem vegetal à alta de 1,22%. Os produtos de origem animal apresentaram expansão de 4,37%.

Gazeta Estado de São Paulo - Adriana Serrano


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.