Agronegócio

Preços melhores não garantem liquidez ao mercado da soja

Além da renegociação das dívidas dos produtores, os custos de produção ainda estão altos
Por: -Redação
1 acessos

Impulsionada pelas altas cotações do milho no mercado nacional e internacional, a soja vem atingindo bons preços na bolsa de Chicago, o que ajuda os produtores a garantir preços mais firmes para o próximo ano. Porém, mesmo com preços melhores, as perspectivas dos sojicultores para este novo ciclo são de uma temporada de baixa liquidez e redução de investimentos. O alerta vem do Instituto Mato-grossense de Economia Agrícola (Imea) que divulgou nessa quinta-feira (14-12) o Boletim de Acompanhamento de Safra.

Além da renegociação das dívidas dos produtores rurais, cujo pagamento das parcelas tem início no ano que vem, os custos de produção ainda estão altos. De acordo com a economista Ana Maria Gaudêncio Martins, que coordena o levantamento, a próxima safra de soja vai ser marcada pela recuperação de preços internacionais e pelo aperfeiçoamento do sistema visando a redução dos custos de produção. “O fator custo de produção continuará sendo o principal gargalo da produção de soja em Mato Grosso, visto que as expectativas para o mercado de câmbio não agradam ao setor exportador”, aponta o Boletim.

Segundo o Imea, a falta de investimentos nos setores produtivos, acompanhada do aumento de crédito à população, em geral, precisa ser suprida pelas importações para evitar pressões inflacionárias e essas importações são facilitadas pelo câmbio baixo, mas trazem prejuízos ao saldo da Balança Comercial brasileira e, principalmente, mato-grossense.

Bons ventos – O Boletim do Imea também traz boas notícias para os produtores de milho. O ano de 2007 promete ser promissor para o mercado de milho nacional e internacional. “O aumento da utilização do milho nos Estados Unidos para produção do etanol reduz as expectativas de exportação de milho daquele país e, abre novos mercados internacionais para Mato Grosso. O milho é a segunda cultura de maior produção local”, aponta trecho do documento.

Arroz e algodão – As culturas fecham o ano com bom desempenho. O arroz com recuperação de preços provocada pela escassez do produto no mercado interno. No ano, as cotações de arroz já sofreram ajustes que chegam a 45% no preço posto Cuiabá, de R$ 22 a saca (sc) no primeiro dia útil deste ano para R$ 32/sc na última quarta-feira. Fator que já refletiu na área plantada de 15% e de 21,7% na produção, para a próxima safra, segundo a Conab.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink