Prêmio Nobel: "Certas ONGs lucram com a oposição a OGMs"

OPINIÃO DE ESPECIALISTA

Prêmio Nobel: "Certas ONGs lucram com a oposição a OGMs"

 "Além disso, a abordagem de OGM é muito mais segura"
Por: -Leonardo Gottems
174 acessos

O Prêmio Nobel Richard Roberts Prize afirmou, em conferências ditadas durante a sua visita a Dhaka, Bangladesh, que algumas organizações não governamentais (ONGs) estão ganhando dinheiro com a oposição aos organismos geneticamente modificados (OGMs). De acordo com ele, os OGMs são necessários para alimentar um número crescente de pessoas com fome e satisfazer as suas exigências nutricionais a custos mais baixos. 

"Por que ouvimos isso? Ouvimos isso por causa de um movimento que começou na Europa e depois se espalhou para os Estados Unidos e o Japão. E é um processo que está ocorrendo porque certas organizações sem fins lucrativos acham que é uma boa maneira de arrecadar dinheiro e uma boa maneira de atacar o agronegócio dos Estados Unidos”, disse Roberts. 

"OGM não são perigosos para as pessoas, mesmo que eles estão errados sobre a percepção", afirma Roberts, que recebeu o Prêmio Nobel de Medicina em 1993 junto com Phillip Allen Sharp para a descoberta de íntrons em DNA eucarióticas e mecanismo de splicing de genes. 

Ele explica que, os organismos são geneticamente modificados para controlar ou desenvolver qualidades específicas, como tornar as culturas resistentes a pragas e doenças ou tolerar condições ambientais adversas. "Além disso, a abordagem de OGM é muito mais segura e muito melhor do que a agricultura tradicional", disse, acrescentando que os métodos tradicionais também criam alguns problemas 

O prêmio Nobel citou um exemplo dos benefícios da tecnologia transgênica. Em Uganda, as bananas respondem por 30% da ingestão de calorias, mas as espécies nativas morreram por causa de uma doença bacteriana. Ele acrescentou que muitos países africanos estão agora adotando tecnologias OGM para desenvolver bananas e mamões resistentes às doenças que estão dizimando essas importantes culturas para a população local. 


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink