Preocupados com clima e crédito produtores de soja iniciam plantio dia 16 em Mato Grosso

Agronegócio

Preocupados com clima e crédito produtores de soja iniciam plantio dia 16 em Mato Grosso

Apesar das expectativas para a safra 2016/2017 serem boas, os produtores de soja em Mato Grosso estão preocupados.
Por:
2115 acessos

Apesar das expectativas para a safra 2016/2017 serem boas, os produtores de soja em Mato Grosso estão preocupados. A quebra registrada no ciclo 2015/2016 ainda reflete negativamente no Estado, principalmente nos cerca de 20 municípios com decreto de “Situação de Emergência”. A maior dificuldade dos sojicultores mato-grossenses é quanto à questão de crédito por causa da retração da produção, segundo o presidente da Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja-MT), Endrigo Dalcin.

O plantio da soja 2016/2017 em Mato Grosso estará liberado a partir do dia 16 de setembro. Até o dia 15 de setembro segue proibida a semeadura visto a vigência do Vazio Sanitário.

As projeções para o ciclo 2016/2017 apontam para uma área semeada de 9,229 milhões de hectares. Um leve incremento de 0,28% ante os 9,203 milhões de hectares do ciclo passado. Em termos de produção são aguardadas 29,385 milhões de toneladas, 6,87% a mais que as 27,497 milhões de toneladas colhidas na safra 2015/2016. As projeções constam em levantamento do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea).

“O clima em 2015 e 2016 foi muito adverso. Afetou a soja e o milho e culminou em vários problemas aos produtores, principalmente dividas. Os sojicultores estão com dificuldades em terminar a aquisição de insumos por não conseguirem obter crédito. A safra ainda é incerta”, declara Dalcin ao Agro Olhar.

O presidente da Aprosoja que a situação está “pior” para os produtores dos municípios com decreto de Situação de Emergência. Como o Agro Olhar já comentou, o Governo de Mato Grosso homologou decreto "Situação de Emergência" por 90 dias, podendo ser prorrogado para mais 90 dias, em Água Boa, Cláudia, Novo São Joaquim e Querência, como consta no Diário Oficial do Estado, que circula nesta sexta-feira, 09 de setembro.

Dalcin destaca que é preciso que chova com mais regularidade em Mato Grosso para que o plantio ocorra tranquilamente. “Algumas regiões não choveram direto”. Ele comenta que em sua propriedade no mês de agosto choveu cerca de 70 milímetros, o volume superou os 50 milímetros do mês de novembro de 2015. “Novembro deveria ter chovido 280 milímetros”.

Custo de produção

O custo de produção da safra 2016/2017 da soja em Mato Grosso é o maior da história. O custo médio, segundo o Imea, é de R$ 3.212 por hectare. O desembolso nesta safra supera em 8,5% os R$ 2.958 gastos no ciclo passado. Somente em insumos são R$ 1.873 por hectare, alta de 6,6% diante os R$ 1.756 pagos na safra passada com sementes, defensivos e fertilizantes.

Cautela

A cautela e o planejamento serão essenciais no plantio desta safra 2016/2017 em Mato Grosso. “O produtor não deve se precipitar e começar a plantar já no dia 16 de setembro. É preciso esperar um pouco e ver o andamento do clima, uma vez que estima-se regularidade da chuva apenas para o final de outubro. Precisamos elevar a nossa produtividade”, salienta Dalcin.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink