Presidente da CNA apresenta medidas para viabilizar escoamento da safra no Arco Norte
CI
Agronegócio

Presidente da CNA apresenta medidas para viabilizar escoamento da safra no Arco Norte

Senadora Kátia Abreu reuniu-se com o diretor geral do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), general Jorge Ernesto Pinto Fraxe
Por:
Senadora Kátia Abreu reuniu-se com o diretor geral do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), general Jorge Ernesto Pinto Fraxe

Apontar soluções que permitam o escoamento da safra brasileira de soja e milho produzida nas regiões Centro-Oeste, Norte e Nordeste do País pelos corredores do chamado Arco Norte. Este foi o tema de reunião da presidente da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), senadora Kátia Abreu, com o diretor geral do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), general Jorge Ernesto Pinto Fraxe, nesta terça-feira (14/05). Também participaram do encontro o senador Flexa Ribeiro (PSDB-PA) e o vice-governador paraense, Helenilson Pontes, além de um grupo de deputados do Tocantins e do Pará.


Essas regiões produzem 52% da soja e do milho colhidos no País, mas 86% dessa produção são escoados por meio de rodovias e portos do Sul e Sudeste. “O deslocamento das cargas encarece os custos do frete, comprometendo a competitividade dos produtos brasileiros vendidos no Brasil e no exterior”, afirmou a senadora ao defender, junto ao DNIT, uma série de ações para resolver essa questão e viabilizar o escoamento por meio dos modais existentes no Arco Norte. Além das hidrovias do Tocantins e dos rios Madeira e Teles-Pires Tapajós, a senadora acredita que as BRs 163, 158 e 153 rotas de escoamento na região.

As obras de derrocamento do Pedral do Lourenço, no Pará, para viabilizar a navegabilidade na Hidrovia do Tocantins, estão entre as prioridades. Atualmente, são dois os projetos em discussão, para a construção da hidrovia. Só entre os municípios de Peixe (TO) e Tucuruí (PA), serão 1.500 quilômetros navegáveis.


A presidente da CNA reforçou a necessidade de construção, na hidrovia, das eclusas de Estreito e Lageado, o que deverá ser feito por meio de projetos de Parceria Público-Privada (PPP).

O diretor do DNIT acolheu a demanda e solicitou à senadora Kátia Abreu dados sobre as perspectivas de crescimento da produção agropecuária na área de abrangência da hidrovia Tocantins, para defender a proposta junto ao Ministério do Planejamento. Segundo ele, o projeto será aprovado no DNIT, que aguardará o Planejamento incluí-lo na lista de obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Esta é a alternativa para permitir o Regime Diferenciado de Contratação (RDC) - empregado em todos os empreendimentos da segunda fase do Programa, conhecida como PAC 2. Só o RDC possibilita fazer uma licitação em 90 dias, tempo três vezes menor do que os 280 dias consumidos num processo normal.

Segundo o general, o Governo federal fará opção pela obra mais estratégica para o desenvolvimento do País, garantindo os menores custos e os maiores benefícios. “O Pará e o Tocantins têm direito a sua hidrovia. Faço a análise desses projetos em no máximo três semanas”, afirmou o diretor geral do DNIT.


A senadora Kátia Abreu também defendeu a federalização da rodovia 155, no trecho do Pará, garantindo, assim, recursos federais para a recuperação de sua malha asfáltica. Apesar de ser uma das principais vias para transporte de cargas na região, ela encontra-se em péssimo estado de conservação. O diretor geral do DNIT apoiou a ideia e disse que a mudança pode ter início com a apresentação de uma proposta do Governo do Pará à Assembléia Legislativa do Estado.

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.