Presidente da Emater defende agricultura familiar em conferência

Agronegócio

Presidente da Emater defende agricultura familiar em conferência

Desafio é gerar renda para as 1,3 mi de pessoas ocupadas com agricultura familiar no RS
Por: -Joana
1778 acessos
O presidente da Emater/RS, Lino De David, reafirmou nesta sexta-feira (25/3), durante a 2ª Conferência de Agricultura Familiar, realizada pela Universidade Federal da Fronteira Sul, em Cerro Largo, o compromisso da Instituição e da Secretaria Estadual de Desenvolvimento Rural, Pesca e Cooperativismo de defender a agricultura familiar frente ao modelo de produção dos grandes grupos econômicos. "Assumimos o compromisso de proteger a produção de alimentos porque isso significa proteger as famílias, senão, seremos engolidos pelo modelo hegemônico do capitalismo mundial", disse De David, destacando que no Brasil a venda de alimentos é controlada por apenas três grupos econômicos e, em nível mundial, o comércio de sementes é controlado por dez grandes grupos econômicos.


O desafio do governo, segundo Lino De David, é gerar renda para as 1,3 milhões de pessoas ocupadas com agricultura familiar no Estado, mesmo considerando que o modelo econômico é "desigual e desfavorável" ao pequeno agricultor. O esforço do governo, segundo ele, se materializa em ações concretas como a promoção do desenvolvimento sustentável, do cooperativismo, da organização econômica dos agricultores familiares e do enfrentamento das questões climáticas.

Outros "esforços", em âmbito nacional, foram destacados pelo secretário nacional de Agricultura Familiar do Ministério do Desenvolvimento Agrário, Laudemir Müller. "Através de políticas de estímulo ao crédito, R$ 27 bilhões estão hoje nas mãos dos agricultores familiares", exemplificou. Graças a produção de alimentos, continuou Müller, o país tem conseguido amenizar as turbulências provocadas pelo mercado financeiro internacional. Além disso, o contingente de aproximadamente 14,6 milhões de agricultores familiares brasileiros será decisivo na erradicação da fome no país, "meta número um da presidenta Dilma", projetou Müller.


Contudo, o secretário apontou três desafios: a ampliação de políticas públicas, como o Programa Mais Alimentos, Pronaf Jovem, crédito fundiário e nova lei de ATER, renda e organização econômica com expansão do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) e Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), garantia de preço, Suasa e política tributária, e a questão ambiental, que envolve debate sobre o Código Florestal, pagamento do serviço ambiental e Pronaf Sustentável. "Através deste fórum podemos encaminhar as demandas dos agricultores e, ao mesmo tempo, nos voltarmos para suas resoluções", concluiu o gerente da Emater/RS-Ascar regional de Santa Rosa, Amauri Coracini.

Também participaram da Conferência, a gerente adjunta da Emater/RS-Ascar da região de Santa Rosa, Neida Frohlich, gerente e adjunto da Emater/RS-Ascar da região de Ijuí, respectivamente, Geraldo Kasper e Antônio Altíssimo, presidenta do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Santo Cristo, Genoveva Haas, representante da Ong Arede, Rosângela Angelin, prefeitos, lideranças regionais e estudantes da Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS).


As informações são da assessoria de imprensa da Emater/RS-Ascar.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink