Prestígio da seda no exterior garante lucro ao pequeno produtor

Agronegócio

Prestígio da seda no exterior garante lucro ao pequeno produtor

Os pequenos produtores do Paraná produziram 7.141 toneladas de casulos na safra 2006
Por: -Norberto Staviski
1 acessos

Os pequenos produtores, que formam o maior contingente dos criadores do bicho-da-seda no Paraná, produziram 7.141 toneladas de casulos na safra 2006, contra 6.405 toneladas na anterior, um acréscimo de 11,5% no volume da produção e um ganho no preço de 3,16%. O preço médio alcançado foi de R$ 6,29 por quilo. A receita proporcionada pela atividade foi de R$ 45 milhões, considerando toda a cadeia agroindustrial.

O expressivo ganho de produtividade proporcionou o bom resultado. Maior número de sericicultores adotou novas tecnologias, informa o gerente da Câmara Técnica do Complexo da Seda, José Carlos Morosini Zaia, também técnico da Secretaria da Agricultura.

Para alguns analistas, a razão do sucesso não se deve apenas aos ganhos de produtividade. Cada dia mais, a seda brasileira ganha prestígio no mercado internacional. Os lenços e gravatas Hermés, que custam entre 300 a 400 dólares cada, usam 100 % da seda brasileira por causa de sua qualidade. O setor de confecções italiano também é um cliente importante do Brasil.

A China domina este mercado com 76% da produção mas com uma seda do tipo classificado como de 3A para baixo e que vai até D, a de pior qualidade. Outro grande produtor é a India. O Brasil está na quarta posição, nesse ranking, atrás do Vietnã. A seda brasileira é classificada de 4A a 6A , a melhor que existe.

Outra vantagem da produção nacional é que aqui pode-se obter até 10 "safras" por ano de casulos, enquanto que nos outros países, um máximo de quatro. Assim, a atividade dá ao pequeno produtor uma renda quase que mensal e, por isso, o crescimento da adesão.

O maior importador da seda brasileira é o Japão perto de 60% da produção - e lá ela é utilizada para a confecção dos famosos quimonos. O Brasil só absorve perto de 5% da seda que produz.

Liderança paranaense

O Paraná é responsável por 88,69% da produção nacional destinada integralmente à exportação. Em 2005, a participação paranaense foi de 89,63%. A redução da área média dedicada ao cultivo do bicho-da-seda pelos produtores mostra que a atividade está cada vez mais ligada à agricultura familiar.

A atividade, desenvolvida em 231 municípios, é financiada com recursos do Pronaf que vem viabilizando a expansão da atividade. Segundo José Carlos Morosini Zaia, "a área média do produtor na safra anterior era de 3,32 hectares e, nesta safra, houve redução de 35%, com a área média de 2,15 hectares por produtor".

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink