Previsão de chuvas irregulares deve marcar a semana no RS
CI
Agronegócio

Previsão de chuvas irregulares deve marcar a semana no RS

A região Oeste do Estado, uma das mais atingidas pela falta de chuvas, terá um volume muito baixo de precipitações
Por:
A semana de 16 a 22 de janeiro deve ser marcada pela ocorrência de chuvas irregulares na maior parte do Estado, que devem contribuir muito pouco no sentido de amenizar os efeitos da estiagem no Rio Grande do Sul. Conforme o meteorologista do Centro Estadual de Meteorologia (Cemet/RS), Flávio Varone, a região Oeste do Estado, uma das mais atingidas pela falta de chuvas, terá um volume muito baixo de precipitações. “Serão menos de 20 mm acumulados em função de pancadas de chuvas de verão, que devem ocorrer nos finais de tarde. Vai chover, mas a situação continuará difícil”, disse o especialista.

Na metade Sul e Fronteira com Argentina não há previsão de chuvas significativas e o tempo mais aberto e seco mantém as temperaturas elevadas. Nessa região, as precipitações também não devem ultrapassar os 20 mm. Segundo Varone, entre as regiões mais beneficiadas pelas chuvas estão os Campos de Cima da Serra e a Serra do Nordeste, onde os volumes poderão atingir valores superiores a 40 mm. Nessas localidades, as chuvas serão consequência da umidade presente sobre Santa Catarina. O meteorologista disse que existe a perspectiva, a ser confirmada nos próximos dias, de que, no final de janeiro, uma nova frente fria entre no Estado levando à ocorrência de chuvas, com intensidade semelhante à que marcou o final de semana dos dias 14 e 15.

Dados do Cemet/RS, órgão da Fundação Estadual de Pesquisa Agropecuária, vinculado a Secretaria da Agricultura, Pecuária e Agronegócio, apontam que durante a primeira quinzena do mês de janeiro não ocorreram chuvas significativas na maior parte do estado. Nas regiões entre a Campanha, Depressão Central e Fronteira Oeste os volumes acumulados ficaram abaixo de 30 mm. Nas demais áreas a propagação de uma frente fria entre os dias 12 e 15 de janeiro, ocasionou chuvas expressivas e homogêneas especialmente nas faixas leste e nordeste do Estado. Os totais oscilaram entre 60 e 90 mm no Litoral Sul, Planalto e alguns pontos isolados do Alto Vale do Uruguai. Entre a Serra do Nordeste, Litoral Norte e região Metropolitana ocorreram chuvas fortes, com altos volumes acumulados. De forma geral os volumes variaram entre 100 e 120 mm, sendo que foram registrados 133 mm em Porto Alegre, 202 mm em Canela e 216 mm em Torres.

A análise em relação a média esperada para o mês de janeiro mostra que a condição de estiagem continua, especialmente na metade Oeste e Sul do Estado. Na primeira quinzena os volumes acumulados correspondem a menos de 20% da média na maior parte dos municípios destas regiões. Nas regiões entre Alto Vale do Uruguai, Planalto, Vale do Taquari e Vale do Rio Pardo os totais representam entre 20 e 60% do esperado para o mês. No Nordeste gaúcho, área que abrange a região Metropolitana, Litoral Norte, Serra do Nordeste e Campos de Cima da Serra, alguns locais atingiram e até superaram a média esperada para todo o mês de janeiro.

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.