Agronegócio

Produção de arroz ganha incentivo com novo programa estadual

Rizicultores e agroindústrias do Tocantins serão capacitados para produzir o grão nutritivo que será adquirido pelas escolas para ser incorporado ao arroz tradicional
Por: -Josiane Mendes
717 acessos
Com a implantação do arroz fortificado na merenda escolar dos 230 mil alunos da rede estadual de ensino, o agronegócio também tem a lucrar. Rizicultores e agroindústrias do Tocantins serão capacitados para produzir o grão nutritivo que será adquirido pelas escolas para ser incorporado ao arroz tradicional. Com isso, o produtor rural terá um incentivo a mais no cultivo de sua lavoura. Na manhã desta quinta-feira, 03, no Palácio Araguaia, Governo do Estado e Path, organização internacional sem fins lucrativos, assinaram convênio para implantação do programa do Tocantins.

O Estado é um dos maiores produtores de arroz do país e a produção vem crescendo a cada ano. Segundo a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), foram colhidas, na safra 2012/2013, 565,7 mil toneladas do grão, um aumento de 27,9% em comparação à safra 2011/12.  Conforme o secretário da Agricultura e Pecuária (Seagro), Jaime Café, o potencial de produção do Tocantins, aliado a uma melhoria na alimentação dos estudantes, é um ganho para toda a sociedade. “O produto tem tudo para alcançar também os programas sociais e o restante da população, o que favorecerá o cultivo de arroz no Estado e o aumento da produção, que por alguns anos enfrentou queda”, declarou.

O Tocantins será o primeiro estado brasileiro a implantar o programa, que é executado nas cidades de Sobral (CE), Dourados (MS) e Vespasiano (MG) e também em outros países, como Colômbia, Costa Rica, Índia, Camboja, Burundi e Filipinas.

Segundo o Governador Siqueira Campos, tudo que for para aproveitar os avanços científicos e tecnológicos e para melhorar a qualidade de vida do povo tocantinense será bem-vindo. 

O coordenador do projeto, Sérgio Segall, comentou que a fome oculta é uma questão de saúde pública e atinge cerca de 40% da população brasileira. “O governo tocantinense se sensibilizou em reforçar a merenda escolar, o que, consequentemente, trará melhorias ao aprendizado dessas crianças”, declarou, acrescentando que nas localidades onde o projeto já foi implantado os bons resultados estão sendo colhidos, comprovados por mais de 30 estudos científicos.

Fortificado

O grão fortificado, criado a partir da quirera do arroz processado e após a adição de nutrientes, como ferro, zinco e vitaminas do complexo B, é incorporado ao produto tradicional na proporção de 2 a 5%. Nesta primeira etapa, informou Segall, a Path disponibilizará uma tonelada do grão fortificado, o que irá gerar 100 toneladas do arroz modificado a ser consumido pelos estudantes.

Caberá à Universidade Federal de Viçosa, em Minas Gerais, responsável por transferir a tecnologia do arroz fortificado no Brasil e em outros países, acompanhar todo o processo, indo desde a capacitação dos produtores de arroz ao acompanhamento dos resultados finais. As capacitações devem começar a partir do próximo ano.

A partir da produção do grão fortificado por produtores, agroindústrias e cooperativas, caberá às escolas adquirir o produto, com recursos próprios destinados à merenda escolar, e incorporar na alimentação de seus alunos.
Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink