Grãos

Produção de grãos em Goiás deve ter queda de quase 1 milhão de toneladas

Estimativa da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) é de que resultado seja de 2,7% a 4% inferior ao de 2016
Por:
244 acessos

Estimativas divulgadas pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), nesta quinta-feira (9/11), indicam que a produção de grãos em Goiás deve cair de 2,7% a 4% neste ano.

Em relação a 2016, o resultado pode significar uma redução de quase 1 milhão de toneladas de produtos como soja, feijão, arroz e milho. Assim, o recorde batido no ano passado, de 21,9 milhões toneladas, cairá para algo em torno de 21 milhões de toneladas.

“Este cenário é esperado principalmente pela redução na produtividade média das lavouras, que no ano passado alcançou melhor resultado já registrado no Estado”, explica o analista técnico do Instituto para o Fortalecimento da Agropecuária de Goiás (Ifag), Cristiano Palavro.

Dados

Para o milho verão, Goiás deverá apresentar uma redução na área plantada variando de 8 a 12%, que somada a expectativa de produtividade média 3,3% menor que no ano anterior, resultará numa produção total de aproximadamente 1,8 milhão de toneladas.

Já para a soja, a Conab aponta um crescimento na área plantada, variando de 0,5 a 2,5%, porém com a queda na produtividade média (-7,4%) em relação ao ano anterior, a oleaginosa deverá obter uma produção total de cerca de 10,16 milhões de toneladas, resultado 6% inferior às 10,81 milhões de toneladas obtidas em 2017.

Entre as demais culturas, destaque para o aumento esperado na produção de algodão (+0,8%) e as quedas na produção de arroz (-3,5%) e feijão 1ª Safra (-3,0%). (As informações são da Assessoria de Comunicação Sistema Faeg Senar Goiás)

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink