Produção de milho será R$ 1 bi menor

Produção

Produção de milho será R$ 1 bi menor

Na última semana, o preço do milho no mercado interno situou em R$ 23,8/sc
Por:
335 acessos

Com um cenário de produção que não é o melhor se comparado aos últimos anos, visto que diversas incertezas cercam o mercado de commodities no mundo, o milho deverá movimentar R$ 8,1 bilhões, este ano. O que representa uma queda de 11,4% na comparação com o que movimentou no ano anterior - R$ 9,1 bilhão -, uma drástica redução de R$ 1 bilhão. As estimativas são do indicador de Valor Bruto da Produção (VBP), do Ministério da Agricultura.

Na perspectiva do presidente da Aprosoja-MT, Antonio Galvan, o VBP do milho pode melhorar se as condições climáticas permanecerem positivas até final de abril, período no qual é necessário a regularidade de chuva para garantir o bom desenvolvimento das espigas, e render boa produtividade.

Um dos fatores que também contribuiu para desestimular o setor foi a criação da alíquota de 6% da UPF por tonelada de milho destinada a outros Estados e também para abastecer o mercado internacional, cuja projeção do Executivo é arrecadar R$ 150 milhões este ano com a tarifa.

Aliado a isso, Galvan explica que também existe um risco de desvalorização das commodities no mercado internacional, que vai depender da retomada do acordo internacional entre Estados Unidos e China.

“Esse acordo não deveria ter deixado de acontecer. Mas agora é necessário que seja retomado o mais rápido possível, porque quando retomar já vai ter impacto no agronegócio brasileiro. Temos uma situação na qual os Estados Unidos ainda tem boa parte da última safra para vender, e já vai colher outra de soja. Quando assinar o acordo todo esse volume de grãos vai derrubar o preço das commodities no mundo, e afetar as negociações em Mato Grosso”, avalia Galvan.

Apesar de o acordo entre EUA e China afetar diretamente o mercado de soja, o milho pode ser impactado em razão das alterações que deverão sofrer o preço das commodities no mercado internacional.

Além dessa conjuntura que depende de boas condições climáticas e de boas relações internacionais, o preço do milho apresenta uma margem de rentabilidade baixa aos produtores rurais. Atualmente, a margem de lucro está de 15% sobre a saca de milho. Com base nos dados do Imea, o preço de paridade, que é o valor pelo qual a saca precisa minimamente ser vendida para quitar despesas, está em R$ 20,02/sc.

Na última semana, o preço do milho no mercado interno situou em R$ 23,8/sc. Na prática, em média os produtores de milho no Estado estão conseguindo lucro de R$ 3,8 por saca. Vale destacar que essa margem varia de acordo com a cidade onde o milho é comercializado no mercado interno.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink