Produção e consumo de orgânicos é tema da Terça Ecológica deste mês

Agronegócio

Produção e consumo de orgânicos é tema da Terça Ecológica deste mês

Evento promovido pelo Nej-RS e Emater/RS-Ascar integra Semana do Alimento Orgânico, que vai de 29 de maio a 5 de junho
Por:
861 acessos
Evento promovido pelo Nej-RS e Emater/RS-Ascar integra Semana do Alimento Orgânico, que vai de 29 de maio a 5 de junho.

No próximo domingo, 29 de maio, começa a 7ª Semana do Alimento Orgânico, agregando várias atividades em torno de temas como produção e consumo agroecológico. As atividades seguem até o próximo domingo, 5 de junho. Entre os eventos, destaque para a Terça Ecológica, promovida há 17 anos pelo Núcleo de Ecojornalistas do Rio Grande do Sul.


Neste mês, a Terça Ecológica será realizada na próxima terça-feira, dia 31 de maio, às 19h, no auditório do Escritório Central da Emater/RS-Ascar, em Porto Alegre. Com o tema “Segurança e Soberania Alimentar: Orgânicos e Agricultura Familiar”, participam do debate a nutricionista Regina Miranda, presidente do Conselho Estadual de Segurança Alimentar e gerente técnica adjunta da Emater/RS-Ascar, e o agricultor ecologista Salvador Rosa da Silva, o Dodô, que há 12 anos trabalha com folhosas, frutíferas, ovinocultura e bovinocultura, em uma área de 18 mil metros quadrados no bairro Lami, na zona sul de Porto Alegre. Dodô tem como preocupação produzir para abastecer o mercado, “que pede alimentos mais saudáveis”. O produtor mantém as bancas 2 e 4, na Feira Ecológica do Bom Fim, que ocorre aos sábados pela manhã, na Rua José Bonifácio.

No mesmo dia 31 de maio, das 9h às 13h, Dodô será um dos participantes da atividade relativa ao Banco de Sementes e Mudas Crioulas (Agroecológicas), que acontece no Centro Agrícola Demonstrativo (Cad), localizado na Estrada Bérico Bernardes, 2939, na Vila Planalto, em Viamão. O objetivo é formar um Organismo Participativo da Avaliação da Conformidade Orgânica de Produtores (Opac) Agroecológicos de Porto Alegre e Viamão. Esta atividade vai reunir técnicos e consumidores com a tarefa de identificação das sementes crioulas, registro e definição dos guardadores do material disponível. Embora esta atividade seja um marco de criação do Opac, serão admitidos observadores mediante inscrição prévia. Ainda no Cad, a partir das 13h, acontece a Tarde Agroecológica, com estações voltadas às práticas agroecológicas.


A Terça Ecológica, promovida pelo Núcleo de Ecojornalistas do Rio Grande do Sul há mais de 17 anos, é mensal e gratuita e reúne jornalistas, comunicadores, estudantes, ONGs, movimentos sociais e ambientais, no debate de temas atuais. “Neste mês, nossa parceria é com a Emater, pela valorização e incentivo às práticas agroecológicas, num momento em que são evidenciadas as consequências dos agrotóxicos sobre os alimentos e a saúde humana e do planeta”, defende Juarez Tosi, coordenador do Nej.

FEIRAS
Integra a programação da Semana do Alimento Orgânico, a Feira de divulgação de agroindústrias familiares gaúchas de produtos orgânicos, que acontece dias 30 e 31 de maio e 1º de junho no Centro Administrativo Fernando Ferrari, junto à Secretaria de Desenvolvimento Rural, com comercialização de produtos orgânicos, como sucos, geleias, pães e vinhos, provenientes da agricultura familiar, buscando aproximar produtores e consumidores.


No dia 1º de junho, quarta-feira, das 13h30min às 19h, na Feira Ecológica do Menino Deus, haverá Banca da Biodiversidade, com música ao vivo e sorteio de cestas com alimentos orgânicos. Haverá ainda apresentações audiovisuais de propriedades rurais com produção orgânica e que são modelo na gestão ecológica, sustentabilidade, uso de sementes crioulas e práticas conservacionistas. Na mesma ocasião, haverá distribuição de sementes e hortaliças e sorteio de cestas ecológicas. Ainda na Feira Ecológica do Menino Deus, sábado, dia 4 de junho, das 7h30min às 12h30min, terá Oficina sobre alimentos orgânicos com degustação, Banca da Biodiversidade e sorteio de cestas com alimentos orgânicos.

A Semana dos Alimentos Orgânicos acontece desde 2005 e tem como proposta esclarecer a sociedade e, mais especificamente, o consumidor urbano sobre o que é de fato um produto orgânico, que alia produção agropecuária com propostas ambientalmente corretas, socialmente justas, economicamente viáveis e culturalmente aceitas.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink