Produção paranaense de café apresenta crescimento de 56,7%

Agronegócio

Produção paranaense de café apresenta crescimento de 56,7%

O Paraná produziu 2,2 milhões de sacas de café beneficiado
Por: -Redação
2 acessos

O Paraná produziu 2,2 milhões de sacas de café beneficiado, 100% arábica, na safra 2006/2007, significando um crescimento de 56,7% em relação à safra anterior. Os dados fazem parte do quarto relatório anual da Conab (Companhia Nacional de Abastecimento), divulgado na sexta-feira (15-12) e que revela ainda que o Brasil vai produzir 42,5 milhões de sacas, sendo 33 milhões da variedade arábica e 9,5 milhões de robusta. A safra nacional teve um aumento de 29% em relação a 2005, em razão de um crescimento de 32,9% na produtividade.

No ano passado, o Paraná colheu pouco mais de 1,440 milhão de sacas de café, por causa da estiagem e dos efeitos da bianualidade – alternância de bons e maus resultados. A produtividade de 22,41 sacas por hectare foi 66,1% superior a safra passada, devido a bianualidade positiva, condições climáticas favoráveis e a bons tratos culturais.

O agrônomo Paulo Sergio Franzini, da Câmara Setorial do Café da Secretaria da Agricultura e Abastecimento, revelou que o aumento da produtividade no Paraná deve-se à implantação de lavouras de café pelo sistema adensado. “Este sistema vem apresentando uma produtividade bem maior”, garante.

Ele destacou que o clima seco no período da colheita, de abril a setembro, e a modalidade de colheita no pano, empregada em 63% da produção paranaense, contribuíram para a obtenção de maior volume de cafés de excelente qualidade, predominando “bebida dura para melhor”, disse.

O relatório da Conab prevê que o Brasil vai produzir na próxima safra (2007/2008) de 31,1 a 32,3 milhões de sacas. A redução em relação à safra atual deverá ser de 23,9% a 26,9%, motivada pela queda de 3,1% na área de cafezais em produção e na queda da produtividade, de 19,75 sacas/hectare para um valor entre 14,89 a 15,50 sacas/ha.

A previsão inicial é que o Paraná venha a produzir entre 1,7 e 1,9 milhão de sacas de café beneficiado, com variação negativa de 17,3% a 24,8% em relação à safra atual. A produtividade deverá situar-se entre 16,88 e 18,58 sacas por hectare.

Terceiro lugar – A Conab revela em seu quarto relatório anual que o Paraná é o terceiro colocado na produção de café arábico, com 2,248 milhões de sacas, contra 21,9 milhões de Minas Gerais e 4,4 milhões de São Paulo. Espírito Santo é o quarto colocado com 2,1 milhões de sacas e a Bahia aparece em quinto com 1,7 milhão de sacas. O Espírito Santo é o maior produtor de café da variedade robusta, com 6,8 milhões de sacas, o que faz deste Estado o segundo colocado no ranking nacional dos produtores de café.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink