Produtividade da cana em MS pode dobrar em três anos

Agronegócio

Produtividade da cana em MS pode dobrar em três anos

A forte expansão projetada ao setor da cana tem motivado pesquisas
Por:
252 acessos

A forte expansão projetada ao setor sucroalcooleiro em Mato Grosso do Sul nos próximos anos, além de motivar a migração de tradicionais áreas da pecuária e da agricultura de grãos para a cana-de-açúcar, tem motivado pesquisas que visam ampliação da produtividade das lavouras de cana.

O resultado desta corrida em busca de melhores resultados do setor pode se refletir, até 2010, no aumento de até 100% no rendimento médio por hectare de cana, ou seja, a produtividade da cultura pode dobrar nos próximos anos, segundo análise do professor Godofredo César Vitti, que conferiu palestra "Fertilização da Cultura de Cana-de-Açúcar", ontem, durante o Canasul 2007, evento que acontece até o fim da tarde de hoje na Capital. O aumento da produtividade pode ainda reduzir a demanda por terras para cultivo da cana ou representar ampliação significativa da produção.

"Registraremos ganhos de produtividade oscilando entre 50% e 100% se utilizarmos aplicação da adubação adequada, com amostragens, análises de solo das lavouras e práticas corretivas", declarou Vitti. Segundo o professor, especializado em adubos, adubação e fertilidade do solo, que também é coordenador do Programa Nacional de Qualidade de Análise de Folha, MS tem características positivas para o desenvolvimento da cana, como a presença de solos profundos e chuvas adequadas, que tem baixa fertilidade dos solos. Para isso, Vitti recomenda a correção do solo com manejo simples, o que pode aumentar a capacidade de absorção de nutrientes das plantas, ampliando a longevidade da cultura.

Outro fator decisivo para a ampliação da produtividade das lavouras é a escolha da variedade de cana adequada para a região, aliada ao plantio no período correto. O pesquisador ressalta a importância de os produtores ficarem atentos ao período indicado para o plantio, geralmente realizado entre março e junho, como forma de evitar as ervas daninhas. "O zoneamento agrícola e ambiental em elaboração pelo Governo do Estado será fundamental para indicar os locais (condições edafoclimáticas) mais adequados para cada variedade de cana", frisou.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink