Produtividade da soja convencional está acima da média em MT
CI
Agronegócio

Produtividade da soja convencional está acima da média em MT

Soja Livre testou cultivares convencionais em 50 propriedades rurais do estado
Por:
Soja Livre testou cultivares convencionais em 50 propriedades rurais do estado

O Programa Soja Livre (PSL) divulgou os resultados técnicos de produtividade das cultivares de soja convencional plantadas na safra 2011/12. As cultivares não transgênicas se destacaram novamente, com produtividade acima da média regional. “Apesar do clima não ter favorecido muito a safra neste ano, as variedades convencionais demonstraram boa estabilidade produtiva”, afirmou o coordenador do programa, Clóvis Albuquerque.

Nesta safra, foram instaladas em Mato Grosso 26 Unidades Demonstrativas (UD), onde são produzidas diversas variedades pelos técnicos do PSL, e mais de 50 Áreas Demonstrativas (AD), onde o produtor planta a variedade não geneticamente modificada e esta é comparada com a cultivar que é plantada normalmente naquela área. Desta forma, as variedades são testadas e aprovadas, aumentando as opções de escolha por parte dos agricultores.

O produtor de Diamantino Noedir Marcondes teve a maior produtividade do Programa Soja Livre nesta safra, com a variedade BRSGO 7960, de ciclo precoce. Foram 71 sacas por hectare. “Gostamos tanto do material que já compramos para usar em 50% da área que será plantada na próxima safra”, afirmou. Serão 11 mil hectares semeados com as cultivares convencionais na safra 2012/13. “Optamos por plantar soja convencional há cerca de seis anos porque a produtividade é boa e os preços também estão valendo a pena”, explicou o produtor.

Desde 2009, quando foi lançado o Programa Soja Livre, os agricultores têm demonstrado estar satisfeitos com as cultivares não transgênicas. “As variedades têm atendido à demanda dos produtores, com lançamentos anuais de novos materiais. Além disso, a soja convencional tem conseguido uma rentabilidade alta e custo equivalente ao das variedades transgênicas”, explicou Clóvis Albuquerque. E o mercado está demandando a soja convencional, especialmente países da Europa, o Japão e a Coréia, segundo Albuquerque.

O Programa Soja Livre é uma parceria entre Aprosoja, Associação Brasileira de Produtores de Grãos Não Geneticamente Modificados (Abrange) e Embrapa. Em 2011, passou a atuar também em Mato Grosso do Sul, Rondônia, Goiás, Paraná, Santa Catarina, Bahia, Maranhão, São Paulo e Minas Gerais.

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink