Produtor brasileiro está otimista com nova safra de grãos, diz secretário de Política Agrícola

Agronegócio

Produtor brasileiro está otimista com nova safra de grãos, diz secretário de Política Agrícola

Neri Geller participou de coletiva sobre a estimativa da Conab para 2016/2017
Por:
330 acessos

Ao participar da divulgação do 1º levantamento da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) sobre a safra grãos 2016/2017, o secretário de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Neri Geller, disse que o “o produtor está com a autoestima elevada”.

Os números da Conab indicam uma produção de até 214,8 milhões de toneladas, com até 15,3% de aumento sobre a safra passada. “Temos um futuro promissor, com aumento de consumo e de preços ao produtor”, disse Neri.
A produtividade aumentou em várias culturas, como a soja (entre 4% e 5,9%). O grão é o mais plantado no país, com previsão de safra entre 101,8 a 104 milhões de toneladas. “A produtividade demonstra que o produtor continua investindo em tecnologia.”

O secretário lembrou que, em setembro, as chuvas beneficiaram o desenvolvimento das plantas em muitas regiões produtoras. E os prognósticos climáticos para outubro, novembro e dezembro são favoráveis às lavouras.
Feijão, arroz e milho

Neri destacou a estimativa de colheita para dois produtos básicos. O feijão primeira safra deverá crescer entre 11,9% a 18,7% (1,1 a 1,2 milhões de toneladas. Já o arroz tem previsão de aumento de 9% a 13,5% por cento (11,5 a 12 milhões de toneladas). “Essas culturas têm impacto na economia, porque estão na mesa do brasileiro.”

O secretário também lembrou que o milho, somando-se a primeira e a segunda safra, pode render até 83,8 milhões de toneladas, 25,7% a mais do que no ciclo anterior. “Uma boa oferta de milho ajuda a reduzir os custos de produtor.”
Segundo Neri, os estoques públicos de passagem do grão somam 4,8 milhões de toneladas. “Temos informação que o estoque privado chega a 5 milhões de toneladas”. Para garantir o abastecimento no país, ele ainda destacou a iniciativa do ministro Blairo Maggi de importar milho transgênico dos Estados Unidos para abastecer o mercado interno. “Estamos aguardando a avaliação da CTNbio (Comissão Técnica Nacional de Biossegurança).”

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink