Produtor do MS espera por chuvas para iniciar o plantio

Agronegócio

Produtor do MS espera por chuvas para iniciar o plantio

O agricultor da região de Dourados (MS) vai ter que esperar as chuvas em outubro para começar as primeiras operações da safra de verão 2007/08
Por:
114 acessos

O agricultor da região de Dourados (MS) vai ter que esperar as chuvas em outubro para começar as primeiras operações da safra de verão 2007/08. A seca vai completar um mês no próximo sábado. A última precipitação somou apenas 6,8 milímetros e ao longo de setembro não choveu, apesar de vários períodos de tempo nublado como nesta semana.

O primeiro trabalho dos produtores de soja após a chuva forte será fazer a dessecação das ervas daninhas que tomam conta das antigas lavouras do milho safrinha. O glifosato é herbicida usado para fazer a roçada química nas plantas invasoras de várias espécies. "Antes de chover, nada se pode fazer. Quem quiser antecipar o serviço com a terra seca vai gastar óleo diesel", lembrou ontem o presidente da Associação dos Engenheiros Agrônomos da Grande Dourados (Aeagran), Ângelo Ximenes.

Mesmo os produtores que não adotam o sistema de plantio na palhada do milho não podem fazer a preparação do solo antes das chuvas devido aos torrões que se formaram durante a seca, que não se desmancharão mesmo com a passagem do arado e da grade.

A arrancada para o plantio da soja precoce ocorre na segunda quinzena de outubro, período escolhido para que a colheita de parte das lavouras seja feita mais cedo e o produtor obtenha melhor preço. Mas o pico da semeadura acontece em novembro, se estendendo até o começo de dezembro. Por causa do vazio sanitário adotado pela Iagro a partir desta safra, somente a partir de 1º de outubro estará liberado o cultivo da soja no Estado. Mas são raros os agricultores que antecipam o plantio para a primeira quinzena de outubro.

Segundo previa ontem o Climatempo, nesta semana ainda poderão ocorrer garoas fracas e isoladas na região de Dourados. Chuvas com maior intensidade deverão ocorrer somente nos dias 5 e 6 de outubro, com um acumulado previsto de 23 milímetros.

Na safra passada, os agricultores douradenses plantaram 165 mil hectares de soja e a previsão é de um aumento da área devido às previsões otimistas de especialistas em commodities para o próximo ano. Atualmente a saca alcança negócios de R$ 39, no mercado disponível em Dourados. Ximenes lembrou que para o segundo semestre de 2008, o mercado trabalha com estimativa de a saca de soja valer US$ 20 – equivalente hoje a mais de R$ 37, considerando o dólar a R$ 1,86.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink