Produtor sofre com estragos em vicinais

Agronegócio

Produtor sofre com estragos em vicinais

Com intensidade das chuvas, transporte da área rural de Bauru/SP fica restrito
Por: -Bruna Dias
949 acessos

Com a intensidade das chuvas, o transporte para produtores e moradores da área rural de Bauru/SP fica restrito

A chuva não deu trégua desde o início do mês. Se o asfalto da cidade está se esfacelando com as enxurradas resultantes das tempestades, as estradas de terra da zona rural de Bauru estão sendo ainda mais castigadas. Segundo levantamento feito pelo presidente do Sindicato Rural de Bauru, Maurício Lima Verde, são cerca de 270 quilômetros de vicinais em desordem, o que dificulta o transporte de produtores de hortifrutigranjeiros, dos próprios moradores e, ainda, cria dificuldades ao atendimento médico desse público.

“É um problema muito sério, principalmente para o setor hortifrutigranjeiro. O acesso aos centros de abastecimento está restrito e a chegada até eles fica mais difícil. Outro problema evidente é o acesso restrito de socorro médico. Se tivéssemos em período escolar a situação ficaria ainda pior, porque esses estudantes estariam quase impossibilitados de transitar por esses locais”, destaca.

Para os pequenos e grandes produtores independentes, os custos desse prejuízo, ainda não estimados, podem ser repassados ao consumidor. Este não é o caso de uma granja que trabalha com frango de corte integrada com o frigorífico. A produtora, que pediu para não ser identificada, explica que não há como repassar o prejuízo ao consumidor.

“Como eu trabalho integrada com um frigorífico não há como passar os custos do prejuízo para o consumidor. A vicinal onde fica a granja, no quilômetro 351 mais 500 metros na rodovia Bauru-Arealva, está quase intransitável. Aqui não chega a ração para as minhas aves e eu vou sofrer muitas perdas. O pessoal que mora um pouco mais à frente está quase ilhado”, reclama.

Perdas

No início da semana, para que a ração chegasse à granja, ela solicitou o serviço de uma máquina para planar a estrada e mais dois caminhões de pedra. Contudo, as chuvas continuaram e o serviço que custou R$ 2,8 mil foi perdido.

Na manhã da última sexta-feira, quando o caminhão de ração chegou novamente ao estabelecimento, ficou atolado e a produtora teve que gastar ainda mais para contratar o serviço de um trator e rebocar o caminhão.

“É um absurdo. Cada vez que eu contrato o serviço do caminhão e das pedras gasto cerca de R$ 3 mil porque eles cobram por hora. A Prefeitura deveria fazer parceria com as outras prefeituras da região para manter essas vicinais em ordem. Vou ter que arcar com os prejuízos da estrada e da perda de aves sozinha”, critica.

Para o produtor de hortaliças Olivaldo Baio, a perda é dupla. Além de sofrer prejuízos na produção, que segundo ele chegam a 40%, ele ainda tira dinheiro do próprio bolso para fazer a manutenção da vicinal onde fica sua horta.

“Estamos conseguindo transportar porque nós mesmos arrumamos a vicinal. E além desse gasto, nós estamos perdendo muito a produção em consequência das chuvas”, afirma.

Comunicação

A partir da próxima semana, a patrulha rural da Polícia Militar (PM) receberá a doação de um aparelho celular cedido pelo Sindicato Rural de Bauru. O objetivo da doação é que os moradores da zona rural tenham um contato direto, como se fosse um telefone de emergência.

“Essa ideia é muito antiga, mas nós conseguimos consolidar só agora que calhou justamente com esse intenso período de chuvas. Na próxima semana, o número desse celular será divulgado aos moradores da zona rural de Bauru para que eles mantenham um contato direto com a PM como se fosse o telefone de emergência 190”, explica o presidente do Sindicato Rural de Bauru, Maurício Lima Verde.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink