Produtora alavanca a produção de leite em Pratápolis (MG)
CI
Imagem: Pixabay
PECUÁRIA

Produtora alavanca a produção de leite em Pratápolis (MG)

A produtora Elisângela Reis de Oliveira é uma apaixonada pela pecuária de leite
Por:

A produtora Elisângela Reis de Oliveira é uma apaixonada pela pecuária de leite. Começou na atividade rural logo após o casamento, com apenas duas vacas. Mas foi participando do Programa Balde Cheio, da FAEMG, que conheceu a importância de trabalhar corretamente com foco na produção e qualidade do produto. Assim, com muita dedicação, chegou ao Programa de Assistência Técnica e Gerencial (ATeG), do Sistema FAEMG/SENAR/INAES, produzindo 230 litros/dia.

No seu Sítio Pontal, em Pratápolis, a produtora trabalha com foco na produção e na qualidade, e a sua conquista é grande. Nos 15 meses do Programa, ela passou a produzir 400 litros/dia. A produção vai diretamente para a empresa Aviação, reconhecida por sua manteiga e doce de leite.

O ATeG foi o grande diferencial na sua vida. “Nós buscamos desde o início da atividade trabalhar através de Programas. Assim, fomos conhecendo os caminhos da qualidade, a inseminação artificial. Agora, com o ATeG e a presença do técnico todo mês na propriedade, conseguimos melhorar significativamente, pois o Tiago, nosso técnico, é veterinário, e nos ajuda muito com a sanidade do rebanho”.  


Hoje, a propriedade tem 43 animais, entre eles dois touros. No momento, a produtora trabalha com a monta natural, pois a quantidade de animais cresceu muito com a inseminação artificial, atingindo o limite da sua área de produção. “Mas nós queremos voltar a inseminação, para repor animais descartados”.

O técnico do ATeG que atende a produtora, Tiago Araújo Vieira, afirma que a evolução da propriedade foi fantástica. Ele ressalta que quando assumiu os trabalhos, em substituição ao técnico anterior, Elisângela já estava com um lote de novilhas prontas para a reprodução, o que alavancou muito a produção. “Ela quase dobrou a produção de leite usando a mesma mão de obra, a mesma infraestrutura e a mesma área. Compramos pouca alimentação em 2020, para complementar a necessidade dos animais”, explica.

A rotina

A gestão da propriedade é da Elisângela, que é responsável pelas duas ordenhas diárias, acompanha os partos e a sanidade dos animais. A sogra alimenta os bezerros com mamadeiras e limpa o tanque de expansão. O sogro faz carretos com o trator e um funcionário é responsável pela alimentação do rebanho.

O rebanho da fazenda é predominantemente Girolando. Com 32 vacas em lactação, a meta da propriedade é diminuir o custo com alimentação. A produção já está no limite da área, então a meta é economizar para melhorar a lucratividade da fazenda.

Uma das maneiras de reduzir o custo de produção foi trabalhar o plantio de milho para silagem com a Associação de Bairro, o que permitiu reduzir o custo de produção em até 15%, o que refletirá diretamente na rentabilidade da propriedade. O programa segue o curso, agradando a produtora e técnico. A previsão é que o projeto seja concluído em 24 meses, faltando apenas nove para o encerramento. O ATeG em Pratápolis é realizado em parceria com o Sindicato dos Produtores Rurais.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink