Produtores de algodão se reúnem para debater novas ações de combate ao bicudo-do-algodoeiro na Bahia

Agronegócio

Produtores de algodão se reúnem para debater novas ações de combate ao bicudo-do-algodoeiro na Bahia

A reunião aconteceu na Fazenda Sete Povos, em Roda Velha
Por:
1432 acessos

Após balanço sobre os índices de infestação do bicudo-do-algodoeiro, na região oeste, com o advento da Campanha Agora é Guerra, a luta continua. Na manhã do dia 16 de julho, com o objetivo de analisar, discutir e definir novas ações de combate e controle do bicudo-do-algodoeiro em áreas de rotação e produção, a Associação Baiana dos Produtores de Algodão (Abapa), através do Programa Fitossanitário, realizou mais uma reunião do núcleo Paraíso Warpol, Timbaúda Sementec e Rodovia da Soja, que conta com a liderança dos produtores Marcelo Kappes e Cézar Busato.

Essa foi a terceira reunião do núcleo, que contou com a presença de produtores, consultores, engenheiros agrônomos, técnicos e colaboradores das unidades produtoras de algodão dos núcleos, e aconteceu na Fazenda Sete Povos, em Roda Velha, município de São Desidério.
 
Durante a reunião, o diretor da Abapa e produtor Marcelino Flores, proprietário da Sete Povos, agradeceu a presença de todos os participantes, e falou da luta que a região tem enfrentando contra o bicudo.  “Ainda não dá para comemorar, temos um longo histórico da presença de bicudo na região, vamos encontrar resistência, temos um clima tropical que favorece a proliferação da praga e a luta é árdua. Mas, não podemos parar”, disse Marcelino.
 
Segundo números apresentados números sobre a situação do bicudo, no núcleo, enquanto que na safra 2014/15, foram feitas cerca de 20 aplicações para bicudo, na safra atual, após implantação das ações efetivas da Campanha, o número foi reduzido para 13. O núcleo é composto por 25 propriedades e sete produtores. Para o produtor líder, Marcelo Kappes, é chegado o momento de evolução, e para isso, é importante o envolvimento de todos os produtores da área.  “O avanço e o ganho têm sido notórios, porém, acredito que temos que evoluir.

Ainda temos produtores que não se envolveram com as ações, e esse envolvimento é imprescindível para vencermos essa batalha. Ainda temos bicudo nas nossas propriedades, esse ano foi difícil, visitamos as fazendas, incomodamos os nossos vizinhos produtores, mas agora é hora de evoluir e essa evolução só vai ser possível com a participação de todas as propriedades, ”, disse Marcelo Kappes.
 
A Campanha Agora é Guerra, tem como objetivo unir a cadeia produtiva para combater o bicudo-do-algodoeiro. O núcleo Paraíso Warpol, Timbaúda Sementec e Rodovia da Soja, foi um dos primeiros núcleos a se formar, e já realizou três reuniões e três tours nas fazendas. O Programa Fitossanitário da Abapa, conta com a parceria da Adab, Fundeagro, Embrapa, Aiba, Fundação Bahia e Instituto Brasileiro do Algodão (IBA).

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink