Produtores de leite conhecem o potencial da silagem de Capim-Elefante para enfrentar escassez de pastagens

Leite

Produtores de leite conhecem o potencial da silagem de Capim-Elefante para enfrentar escassez de pastagens

Tema  é um dos destaques do 7º Dia de Campo do Leite da Embrapa, que acontece nesta terça-feira 13
Por:
165 acessos

Tema  é um dos destaques do 7º Dia de Campo do Leite da Embrapa, que acontece nesta terça-feira 13

O Capim-elefante é uma das gramíneas de maior potencial produtivo sendo indicada como alternativa para os períodos de escassez de pastagem. Uma das cinco estações do 7º Dia de Campo do Leite vai destacar o uso da Silagem de Capim-elefante, a BRS Kurumi. O evento acontece na Estação Experimental de Terras Baixas (ETB), base física da Embrapa Clima Temperado (Pelotas,RS). A atividade ocorre em dois turnos, que serão destinados aos estudantes e professores (pela manhã) e aos produtores e técnicos (pela tarde).

Nesta estação serão apresentadas as características das forrageiras de clima tropical, como a cultivar da Embrapa, o capim-elefante BRS Kurumi, os métodos e vantagens da sua ensilagem e o uso de aditivos na ensilagem dessa espécie forrageira.

O capim-elefante tem maior potencial produtivo, tanto na sua produção como forrageira, quanto na sua composição nutritiva. "A BRS Kurumi apresenta potencial para uso sob pastejo, tendo uma alta produção de forragem, excelente estrutura do pasto, o que facilita o consumo pelos animais", observa o pesquisador Jorge Schafhauser.

 Serão apresentadas na estação também as técnicas e vantagens da ensilagem do capim-elefante (método de conservação utilizado para a maioria das forragens) e o uso de aditivos na ensilagem, quais devem ser utilizados e quando é necessário o uso desses aditivos e/ou inoculantes no processo de ensilagem. "A utilização de aditivos na ensilagem, sejam eles, absorventes de umidade ou inoculantes microbianos, podem proporcionar rápido desenvolvimento das bactérias láticas e diminuir a ação de microrganismos indesejáveis, entre os aditivos mais comuns, pode-se citar a ureia, o melaço, os farelos, o bagaço de frutas e inoculantes microbianos", explicou Schafhauser.

7º Dia de Campo do Leite da Embrapa está estruturado em cinco estações sobre: planejamento forrageiro e manejo de pastagens, vitrine de forrageiras, silagem de capim elefante, uso de água nas unidades de produção de leite, biossegurança e saúde única e segurança do leite. 

Serviço:
7º Dia de Campo do Leite
Data: 13 de novembro
Local: ETB, Capão do Leão (ao lado do Campus Universitário da UFPel)
Horario: das 9h às 17h
Entrada franca

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink