Produtores de mel implantam projeto de própolis na região central do TO

Agronegócio

Produtores de mel implantam projeto de própolis na região central do TO

Para 2011 é esperado uma produção de 10 a 12 toneladas de mel
Por:
1197 acessos
Os apicultores de Miracema do Tocantins, região central do Estado, estão implantando um projeto de apicultura para produção de própolis. Nesta quarta-feira, 8, a Seagro – Secretaria da Agricultura, da Pecuária e do Desenvolvimento Agrário, em parceria com a Unitins Agro entregam aos apicultores os quites para implantação do Projeto.

Segundo o presidente da Apromir - Associação dos Apicultores de Miracema e região, Jacinto Fernandes da Silva, o projeto é inovador no Estado. “Esta atividade, específica na produção de própolis é o primeiro a ser implantado no Tocantins, o que propicia mais uma alternativa para os piscicultores do Estado. É um segmento que pode gerar lucro, emprego e renda”, enfatizou.

Produção de mel

Fernandes informa, ainda, que a expectativa para a produção de mel, em 2011, é positiva, podendo até superar a produção do ano passado. Em 2009 foram extraídas 8 toneladas de mel no Estado. Já em 2010 houve uma queda, produzindo apenas 5 toneladas, mas a projeção para 2011 é alcançar de 10 a 12 toneladas do produto. A safra do mel acontece de julho a novembro.

A própolis é muito utilizada na indústria farmacêutica. Já foram constatadas propriedades bactericidas, bacteriostáticas, antifúngicas, analgésicas, cicatrizantes, antiinflamatórias, antioxidantes, entre outras. Entretanto, justamente em função dessas propriedades, a própolis só deve ser utilizada quando necessário, ou seja, como medicamento e não como alimento.

É um produto oriundo de substâncias resinosas, gomosas e balsâmicas, colhidas pelas abelhas de brotos, flores e exsudatos de plantas, nas quais as abelhas acrescentam secreções salivares, cera e pólen para elaboração do produto final. Entre as substâncias que compõem a própolis estão resinas, produtos balsâmicos, cera, óleos essenciais, pólen e microelementos.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink