Produtores de milho de SE conhecem semente tolerante a pragas
CI
Agronegócio

Produtores de milho de SE conhecem semente tolerante a pragas

A YielGard VT PRO 2 possui duas proteínas inseticidas de Bt eficientes no combate das três principais pragas do milho
Por:
A YielGard VT PRO 2 possui duas proteínas inseticidas de Bt (Bacillus thuringiensis) eficientes no combate das três principais pragas do milho

Aracaju  - Cerca de 150 produtores de milho do estado de Sergipe estarão reunidos nesta quarta-feira (7), às 19h, no Hotel Quality, para conhecer a tecnologia de sementes geneticamente modificadas (transgênicas). O ex-ministro da Agricultura e presidente da Abramilho (Associação Brasileira dos Produtores de Milho), Alysson Paolinelli, apresentará a YielGard VT PRO 2 – semente modificada geneticamente que combina a tolerância ao herbicida glifosato ao controle das principais pragas que atacam a cultura do milho. São esperados para o encontro produtores da Bahia, Sergipe e Ceará.


Segundo informações do gerente de comunicação da Monsato – empresa especializada no desenvolvimento de tecnologias na área agrícola –, Geraldo Magella, Sergipe é o segundo maior produtor da cultura do milho no Nordeste, perdendo apenas para a Bahia. Este posicionamento foi um dos fatores contribuintes para a apresentação da YielGard VT PRO 2 aqui no estado. “Além do potencial avanço da produção sergipana, o principal motivo deste evento aqui é o interesse do produtor sergipano em se inteirar sobre o que há de mais moderno em tecnologia agrícola. Eles é que nos solicitam”, revelou o gerente.

De acordo com o gerente da Monsato, Sandro Rissi, o objeto do evento é justamente este. Ou seja, detalhar aos agricultores o progresso do Nordeste nos últimos cinco anos e como deve ser o futuro agrícola, baseado no crescimento econômico, político e social da região. “Produtores estão modernizando processos, expandindo suas propriedades e abrindo espaço para híbridos com biotecnologia nas lavouras. Nossa intenção é estreitar a parceria com eles, levando conhecimento vital para a evolução de seus negócios”, disse Sandro.


Os organismos geneticamente modificados (OGMs), ou transgênicos, são aqueles que tiveram genes de qualquer outro ser vivo inseridos em seu código genético. No caso do milho YieldGard (Bt), primeiro milho transgênico a ser cultivado, uma proteína nociva ao sistema digestório das principais lagarta-praga do milho é produzida, na tentativa de evitar o uso de agrotóxico e também frear a perda de produção. Sem esse controle, a praga pode destruir mais de 60% da safra.

A YielGard VT PRO 2 possui duas proteínas inseticidas de Bt (Bacillus thuringiensis) eficientes no combate das três principais pragas do milho: lagarta-do-cartucho, lagarta-da-espiga e broca-do-colmo. “Tudo foi desenvolvido seguindo as determinações da Lei de Biossegurança, de 2005”, disse Geraldo Magella, sobre a lei nº 11.105, que regulamenta a pesquisa e comercialização de produtos geneticamente modificados no país.


Monsanto

A Monsanto é uma empresa dedicada à agricultura, pioneira no desenvolvimento de produtos com tecnologia de ponta na área agrícola – herbicidas, sementes convencionais e geneticamente modificadas –, que busca soluções sustentáveis que proporcionem aos agricultores produzir mais, conservar mais e melhorar vidas.

Ela está no Brasil desde 1963 e em 2010 destinou R$ 6 milhões à sustentabilidade com diversos projetos socioambientais em todo o país. A Monsanto faturou R$ 2,048 bilhões no Brasil em 2010, produzindo e comercializando a linha de herbicidas Roundup, sementes de soja convencional (Monsoy) e geneticamente modificada (Roundup Ready®), sementes convencionais e geneticamente modificadas de milho (Agroeste, Sementes Agroceres e Dekalb), sementes de sorgo, algodão (Deltapine) e, ainda, sementes de hortaliças (Seminis e De Ruiter).


Em novembro de 2008, passou a atuar no mercado de cana-de-açúcar, com a aquisição das empresas Canavialis e Alellyx, do Grupo Votorantim. Em fevereiro de 2009, a Monsanto adquiriu os 49% restantes da MDM, reforçando sua posição no mercado de algodão.

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.