Agronegócio

Produtores do Ceará fecham venda para a Conab

Serão dois fretes semanais até março de 2007, totalizando 98 toneladas de tilápia e 170 mil ovos
Por: -Redação
1 acessos

Em Jaguaribara, no Ceará, piscicultores que criam tilápias e agricultores assentados que se dedicam à produção de ovos caipira acabam de fechar contrato para fornecer peixes e ovos à Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). Serão dois fretes semanais até março de 2007, totalizando 98 toneladas de tilápia e 170 mil ovos. Os produtos já estão sendo distribuídos a 35 entidades filantrópicas de Fortaleza, como asilos, creches e hospitais.

A venda vai render R$ 426 mil a 112 piscicultores vinculados a duas associações locais, a dos Pescadores da Barragem Castanhão e a dos Criadores de Tilápia do Castanhão, além de 24 avicultores dos assentamentos Barra II e Mineiro, localizados na área rural de Jaguaribara. Da venda total, R$ 392 mil serão destinados às associações de criadores de tilápias, R$ 20 mil aos produtores de ovos do assentamento Barra II e R$ 14 mil aos do assentamento Mineiro. Cada unidade do ovo está sendo comercializada a R$ 0,20 e cada quilo da tilápia a R$ 4.

"É um momento muito importante para nós", diz Pedro Chaves, vice-presidente da Associação dos Pescadores da Barragem Castanhão. Até 2003, não havia uma estrutura organizada em torno da piscicultura em Jaguaribara, cidade às margens do açude do Castanhão, o maior reservatório do Estado e um dos maiores do Nordeste. Três anos atrás o espelho d"água, com 345 quilômetros quadrados, área três vezes maior que o da Baía da Guanabara, era utilizado apenas para a pesca artesanal. Mas, segundo Pedro Chaves, a alta profundidade do lago dificultava a atividade, tornado-a economicamente inviável.

Segundo Lucídio Nunes, técnico do escritório regional do Sebrae em Limoeiro e gestor regional do projeto, hoje já existem mil gaiolas na área do açude que margeia a cidade de Jaguaribara e que produzem cerca de 100 toneladas de tilápias por mês.

Ovos

Apesar de ainda não ser acompanhado pela Gestão Estratégica Orientada para Resultados (Geor), o trabalho desenvolvido com os avicultores que produzem ovos caipiras na zona rural de Jaguaribara segue a mesma metodologia. A perspectiva, segundo Lucídio Nunes, que também acompanha o projeto, é que o trabalho da avicultura integre oficialmente a Geor a partir do fim de 2007.

"Embora o projeto ainda não esteja pactuado com os produtores e instituições parceiras, dentro da metodologia Geor, já desenvolvemos todas as ações tendo em vista a busca pelos resultados", diz Lucídio Nunes. "A própria articulação com a Conab, que tem sido uma parceira importante, só foi possível porque o projeto de avicultura tem seguido a mesma linha do da piscicultura", acrescenta. As informações são Agência Sebrae de Notícias.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink