Agronegócio

Produtores retomam as negociações pelo Eurogap

Os produtos já podem retomar os pedidos de protocolo do programa de certificação de boas práticas agrícolas
Por: -Viviane Monteiro
1 acessos

Os produtos agrícolas já podem retomar, a partir deste mês, os pedidos de protocolo Eurepgap - programa de certificação de boas práticas agrícolas exigidas por supermercados e varejistas da União Européia para comprovar a qualidade dos produtos, segundo a Brasil Certificação, empresa de certificação e de rastreabilidade bovina. Há cerca de um ano, o bloco europeu interrompeu as operações de certificação alegando existir uma indefinição no requisito de ração animal. Esse fator, porém, foi resolvido no mês passado quando o Sindicato Nacional da Indústria de Alimentação Animal (Sindirações) conseguiu o reconhecimento em suas regras pelos dirigentes do Eurepgap.

"Quando os europeus lançaram o protocolo não definiram o quesito para ração animal, mas o Sindirações já deu o primeiro passo no que se refere à exportação do setor produtivo brasileiro’’, diz o supervisor-técnico do sindicato, Ricardo Zucas.

Para o diretor-operacional da Brasil Certificação, Vantuil Carneiro Sobrinho, a retomada das solicitações dos protocolos é "muito importante’’ para o Brasil. Isso porque, acrescenta, a União Européia vem exigindo cada vez mais qualidade dos produtos e a preservação do meio ambiente como pretexto para retaliar produtos agrícolas.

Para Sobrinho, a volta das solicitações dos protocolos de Eurepgap demostra que o Brasil tem condições de competir de igual para igual no mercado internacional. "Isso vai incrementar as nossas exportações’’, destaca Sobrinho. Segundo o diretor-operacional da Brasil Certificação, o produto que tiver o protocolo Eurepgap poderá obter maior valor agregado, o que significa que será vendido por um preço melhor. Por exemplo, a arroba de um animal poderá custar até R$ 3,00 mais do que o produto que não conta com a garantia de qualidade Eurepgap.

O registro Eurepgap exige vários esforços do produtor: os animais precisam ser rastreados, os produtores precisam participar de programas de conservação do meio ambiente e de bem estar dos animais. Precisa ainda participar de programas de controle de insumos e de resíduos de pesticidas, e de manejo sanitário de animais. Além disso precisa comprovar que não se utiliza do trabalho de mão-de-obra infantil.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink