Produtores rurais de borracha buscam fortalecimento do setor por meio da associação

Agronegócio

Produtores rurais de borracha buscam fortalecimento do setor por meio da associação

Uma reunião realizada entre produtores rurais de Cassilândia e a diretoria da Aprobat obteve resultado positivo com 90% dos participantes.
Por:
463 acessos

Como comprovação da união do setor seringueiro, uma reunião realizada entre produtores rurais de Cassilândia e a diretoria da Aprobat - Associação dos Produtores de Borracha de Aparecida do Taboado e Região obteve resultado positivo com a adesão de 90% dos participantes.

O encontro, promovido no último dia 22 de setembro, teve como objetivo fortalecer a atividade concentrada nos municípios de Aparecida do Taboado, Cassilândia, Paranaíba e Inocência por meio da organização de preços praticados junto às indústrias de látex que compram a produção local.

Na avaliação do presidente do sindicato rural do município, Cilas Alberto de Souza, é importante que os produtores locais encontrem alternativas para escoar a produção com segurança e melhores preços. “A reunião com os representantes da Aprobat foi positiva e esclarecedora sobre o papel de uma associação, principalmente, quando atende produtores de uma determinada região. Em nosso caso será importante, pois, teremos oportunidade de gerar um bom volume de matéria-prima para negociação com as indústrias”, observa.

Mato Grosso do Sul produz cerca de duas mil toneladas de borracha natural, segundo informações de um levantamento feito pelo IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. A região leste é responsável por uma parcela expressiva da produção, com destaque para os municípios de Aparecida do Taboado, Cassilândia e Paranaíba, que juntos somam mais de 200 toneladas da resina.

União faz a força – o presidente da Aprobat, Eduardo Sanchez, detalha alguns benefícios que os associados podem conquistar, ao trabalharem juntos: “Ficamos satisfeitos com a participação dos produtores de Cassilândia que contou inclusive com participação de empresários moradores em Goiás. Procuramos esclarecer aos presentes sobre o estatuto, as ações e a postura ética de nossa associação reforçando que já conseguimos melhorar em até 20% o valor do preço pago pela indústria ao produto regional”, argumenta.

Ronilson Pereira Rodrigues é produtor com atividade em pecuária de corte e há sete anos resolveu investir no plantio de seringueira, ao qual reservou 14 hectares da propriedade localizada em Cassilândia. Ele revela que começa a primeira sangria no mês de outubro e ficou animado com a possibilidade de participar de uma associação direcionada a heveicultura. “Acredito que será muito bom para os heveicultores da região, sejam os que estão começando ou os mais experientes. Gostei das propostas da Aprobat e pretendo participar, pois, o maior entrave na produção de borracha é conseguir um preço melhor, o que acredito que conseguiremos ao vendermos em volume”, pontua.

O supervisor regional do Senar/MS, Vidal Subtil esteve presente na reunião e confirma que a cadeia produtiva da região leste está se organizando há algum tempo para profissionalizar a atividade e elenca fatores que podem melhorar ainda mais este panorama. “A demanda dos produtores por mão de obra qualificada é grande e neste sentido, o Senar/MS pode contribuir com a oferta de diversos cursos com foco que vai do plantio até a sangria das seringueiras”, esclarece.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink