Programa de Revitalização de Pastagens Degradadas em Montes Claros

Agronegócio

Programa de Revitalização de Pastagens Degradadas em Montes Claros

Inciativa prevê a realização de seminários e implantação de unidades demonstrativas.
Por:
354 acessos

Receba Notícias como esta por email

Cadastre-se e receba nossos conteúdos gratuitamente
Obrigado por se cadastrar
  • Enviamos a você um email de boas vindas para ativação de seu cadastro.

Promover ações voltadas para a recuperação e revitalização das pastagens no município de Montes Claros, Norte de Minas. Esse é o objetivo do Programa Municipal de Incentivo à Revitalização das Pastagens Degradas. Na próxima terça-feira (27/09), acontece mais um seminário sobre o programa, na comunidade Canto do Engenho, no centro comunitário da Associação dos Pequenos Produtores de Canto do Engenho, a partir das 13h.

A iniciativa é da Emater-MG e conta com a parceria da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Empresa de Pesquisa de Minas Gerais (Epamig), Universidade Estadual de Montes Claros, Banco do Nordeste, Banco do Brasil e Secretaria Municipal de Agricultura.

Segundo o extensionista da Emater-MG, José Arcanjo Marques, a proposta do seminário é incentivar os agricultores a adotarem práticas de conservação de solo e água nas áreas de pastagens degradadas, visando a melhoria da infiltração de água no solo.

"A ideia de implantar esse programa em Montes Claros se justifica pela necessidade que os pecuaristas e agricultores familiares têm de recuperar suas áreas de pastagem de forma duradoura e definitiva, uma vez que os estudos constatam a degradação de grande parte das gramíneas e forrageiras do município", diz José Marques.

Até agora já foram realizados cinco seminários nas comunidades de Riachinho, Santa Rosa de Lima, Tabuas, Ermidinha e Cana Brava. Os próximos encontros estão previstos para outubro, nas comunidades de São João da Vereda e Nova Esperança. Ainda não foram definidas as datas. Mais informações sobre os seminários pelo telefone:  38 3212-1603.

Unidades Demonstrativas

De acordo com o extensionista da Emater-MG, Charles Ramos Alves, todas as ações destacadas nos seminários, como análise do solo, adubação, plantio de sementes de capim e leguminosas serão colocadas em prática até novembro. Segundo ele, o programa prevê a implantação de quatro unidades demonstrativas no município.

“Nessas unidades serão feitas a análise, correção, subsolagem e adubação do solo. Depois haverá a construção de terraços e bacias de captação de águas de chuva, que evitam erosão e ajudam na infiltração de água no solo. Por último será feito o plantio da pastagem”, afirma Charles Alves.

O técnico da Emater-MG ressalta que, nessas unidades demonstrativas, será implantado o sistema de Integração Lavoura e Pecuária. Nesse caso será feito o plantio consorciado de capim com sorgo ou milheto. Tanto o sorgo quanto o milheto poderão ser utilizados  para a produção de silagem para servir de alimentação complementar para o gado no período de seca. “Essas unidades servirão de modelo e para a conscientização dos produtores sobre as práticas corretas com o solo e a implantação de forrageiras adequadas para a região”, disse Alves.
 

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink