Agronegócio

Programa internacional busca identificar linhagens de aveia branca

Passo Fundo (RS) está na rota da pesquisa para o melhoramento genético da aveia branca
Por:
929 acessos
O município é um dos mais de 20 locais do globo escolhidos para integrar o Quaker International Oat Nursery, programa que visa identificar e adaptar novos materiais em diferentes regiões do mundo.  Na cidade, os experimentos são conduzidos pelo Programa de Pesquisa de Aveia da Faculdade de Agronomia da Universidade de Passo Fundo (UPF), que mantêm parceria com a Fundação Pró-Sementes. De acordo com a coordenadora do programa, professora Nadia Lângaro, nesta safra foram testadas mais de 200 linhagens de aveia branca encaminhadas pelo Quaker International Oat Nursery.


No dia 8 de outubro, pesquisadores de instituições do Brasil, da Argentina, do Uruguai e dos Estados Unidos, juntamente com um representante da Quaker, puderam observar o desempenho desses materiais no campo.

Com o objetivo de selecionar linhagens que possam gerar grãos aptos à alimentação humana, os pesquisadores observaram o desenvolvimento das plantas e as questões sanitárias. Eles procuraram identificar materiais boa adaptação à região, resistência às principais doenças e qualidade industrial.


Os materiais que se destacarem poderão ser lançados no mercado, ou ainda, utilizados em cruzamentos para darem origem a novas cultivares. Em ambos os casos, os lançamentos serão feitos por meio da parceria mantida entre a UPF e a Fundação Pró-Sementes. De acordo com o convênio mantido entre as duas entidades, a universidade fica responsável por desenvolver o trabalho de melhoramento genético vegetal, enquanto a Fundação coordena o processo de licenciamento das cultivares. “A Pró-Sementes tem o importante papel de buscar multiplicadores para os materiais desenvolvidos pelo Programa de Pesquisa de Aveia da UPF”, lembra a coordenadora do projeto.


De acordo com a professora Nadia Lângaro, a aveia é um alimento com alto valor energético, rico em proteína e que não contêm glúten, sendo uma ótima opção para a alimentação humana. “O cereal também é rico em fibras dietéticas, sendo um bom aliado em dietas que visam o controle do colesterol, da hipertensão e de doenças do aparelho digestivo”, complementa Kassiana Kehl, coordenadora da unidade de cultivos de inverno da Fundação Pró-Sementes.
Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink