Projeções para a indústria de potássio ficam mais modestas

Agronegócio

Projeções para a indústria de potássio ficam mais modestas

A retração da demanda e a perspectiva de aumento da oferta são o pano de fundo desse cenário
Por:
366 acessos

A temporada de divulgação dos resultados no segundo trimestre das grandes empresas produtoras de potássio - mineral que, ao lado de nitrogênio e fósforo, forma a base da produção de fertilizantes para a agricultura - começa nesta semana com prognósticos bem mais modestos que os de um ano atrás. A retração da demanda e a perspectiva de aumento da oferta são o pano de fundo desse cenário.

Na semana passada, Don Carson, analista do UBS, divulgou relatório em que diminuiu suas projeções para os resultados da canadense Potash e da americana Intrepid Potash em 2009 e 2010. Em junho, a Potash, que divulgará seus resultados na quinta-feira, disse que reduziria sua produção. A K+S, maior produtora de potássio da Europa, anunciou redução de preços para estimular a demanda.

A Mosaic divulgará seu balanço na quarta-feira. Na última quinta, as ações da empresa subiram 12% depois que o jornal "O Estado de S. Paulo" publicou que a Vale estuda oferta para comprá-la. Os papéis da Mosaic chegaram a subir 8,8% na sexta-feira, mas fecharam em baixa de 0,8%. Nesse dia, a Vale disse, sem citar a Mosaic, que "não realizou qualquer proposta com vistas a adquirir empresas do setor [de fertilizantes]". No comunicado, a Vale reiterou, contudo, que sua expansão no segmento de fertilizantes é um "objetivo estratégico".

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink