Projeto quer proibir extermínio de cães e gatos como medida de controle populacional em MT

Agronegócio

Projeto quer proibir extermínio de cães e gatos como medida de controle populacional em MT

A lei também prevê punição aos responsáveis por maus-tratos e abandono desses animais
Por:
793 acessos

A lei também prevê punição aos responsáveis por maus-tratos e abandono desses animais

O projeto de Lei nº 28/2016 pretende proibir o extermínio de cães e gatos para fins de controle populacional. A lei também prevê punição aos responsáveis por maus-tratos e abandono desses animais. “Temos que pensar na defesa da vida dos animais e tentar acabar com a crueldade que se comete com cães e gatos, além de forçar a administração pública a investir em métodos modernos e eficazes de controle de animais em vias públicas”, disse a deputada Janaina Riva (PMDB), autora do projeto.

Ela lembra que vários estados já adotam essas medidas de controle, eliminando os métodos cruéis e retrógrados para controle populacional de cães e gatos que hoje ocorre. Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Rio Grande do Norte, assim como várias prefeituras do país, também já evoluíram nesse sentido. A iniciativa também está direcionada para a conscientização da sociedade sobre a importância da proteção, da identificação e do controle populacional de cães e gatos.

Consta ainda no projeto de lei que os locais destinados à guarda e exposição dos animais disponibilizados para adoção serão abertos à visitação pública, devendo os animais ser separados segundo sua espécie, seu porte, sua idade e seu temperamento. “Fica proibida a entrega de cães e gatos recolhidos por órgãos ou entidades públicos para a realização de pesquisa científica ou apresentação em evento de entretenimento”, destacou a parlamentar.

Conforme o projeto, o cão ou gato que tenham comprovadamente sofrido atos de crueldade, abuso ou maus-tratos e que tenham sido recolhidos não serão devolvidos a seu responsável, devendo ser esterilizados e disponibilizados para adoção. “A esterilização dos animais, serão utilizados meios e técnicas que causem o menor sofrimento à eles, de maneira ética, com insensibilização, para que não se exponha o animal a estresse e a atos de crueldade, abuso ou maus-tratos”. 


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink