Projeto sobre Cerrado conquista premiação Embrapa
CME MILHO (DEZ/20) US$ 4,046 (0,55%)
| Dólar (compra) R$ 5,60 (-0,69%)


Agronegócio

Projeto sobre Cerrado conquista premiação Embrapa

O maior desafio do projeto foi conseguir aliar o conhecimento científico com o popular
Por: -Marianna
773 acessos
O projeto Conservação e Manejo Sustentável da Biodiversidade do Cerrado, liderado pela Embrapa Cerrrados, conquistou o quinto lugar na Premiação Nacional de Equipes 2010 da Embrapa, na categoria Qualidade Técnica. A Premiação Nacional de Equipes ocorre há mais de uma década na Embrapa e tem o objetivo de reconhecer e premiar equipes de projetos, processos ou ações gerenciais cujos resultados tenham elevado nível de desempenho e tragam impactos positivos para a Empresa. É possível concorrer nas seguintes categorais: Parcerias, Qualidade Técnica, Criatividade, Captação de Recursos e Análise e Melhoria de Processos. A avaliação, seleção e premiação foram feitas por um grupo de empregados da própria Embrapa. Ao total, foram premiados 21 projetos de diversas unidades.

O maior desafio do projeto, de acordo com a pesquisadora Fabiana de Gois Aquino, foi conseguir aliar o conhecimento científico com o popular. “Levamos informações técnicas diretamente para as comunidades da área de estudo. Associamos o que sabíamos com o conhecimento deles. Isso foi extremamente enriquecedor”, ressaltou a líder do projeto. Ao replicar a metodologia participativa já utilizada pela Embrapa em projetos de agricultura familiar, a equipe percebeu que a abordagem de pesquisa utilizada com as comunidades locais ainda é desafiadora. “Ainda temos o que melhorar para nos aproximar das comunidades. A Embrapa precisa fortalecer a pesquisa na área social, contando com mais profissionais como sociólogos e psicólogos para realizarmos o trabalho efetivamente multidisciplinar”, acrescentou.

Os resultados do projeto podem ser divididos em quatro produtos: consolidação das informações sobre o bioma Cerrado, estabelecimento e monitoramento de estratégias, adoção de iniciativas de conservação e manejo sustentável dos recursos naturais, e disseminação de recomendações técnicas. O primeiro passo dos pesquisadores foi entender a estrutura, dinâmica e produtividade dos recursos naturais e como estes estariam relacionados com os seres humanos, consumidores diretos ou indiretos desse ambiente. A partir desses estudos foram integradas informações de vários componentes do ecossistema como meio físico, solo, vegetação, clima, fauna e populações humanas.

O conhecimento sobre a fauna e flora do Cerrado foi ampliado com o desenvolvimento do projeto. Foram registrados na região do Paranã-Pirineus, no nordeste de Goiás, 121 espécies de mamíferos, 179 espécies de aves, 106 espécies de répteis, 44 de anfíbios, uma nova espécie de mariposa e catalogadas 34 espécies de trepadeiras com potencial ornamental. Ainda foram geradas tecnologias para a produção de mudas, germinação, enraizamento e enxertia de espécies nativas, assim como, modelos de recuperação de áreas degradadas.

Com a geração das informações técnicas foi possível a definição de métodos e aplicações de estratégias de conservação e manejo sustentável dos recursos naturais do bioma Cerrado. Ao ser finalizado, em 2006, o projeto recomendou que a área do Paranã-Pirineus, que inclui 34 municípios, fizesse parte das áreas prioritárias para a conservação do Cerrado e da Reserva da Biosfera. As comunidades da região do Paranã-Pirineus foram capacitadas para o desenvolvimento de iniciativas de conservação dos recursos naturais locais, especialmente da flora e da fauna.

A disseminação das recomendações técnicas para subsidiar formulação de políticas públicas e de tecnologias mais adequadas ao bioma foi uma das metas do projeto. Considerando importante que vários segmentos da sociedade pudessem ter acesso às informações geradas pela pesquisa teve-se a preocupação de criar produtos com linguagem específica ao público, principalmente crianças e jovens do ensino fundamental e médio de escolas agrícolas rurais, agricultores familiares, comunidades tradicionais, fazendeiros e proprietários de reservas.

Outra estratégia na disseminação do conhecimento foi a criação de um portal na internet (http://cmbbc.cpac.embrapa.br) que apresenta as informações do projeto, acesso aos portais de instituições ou contatos de particulares que desenvolvem ou comercializam produtos nativos do Cerrado. Esta iniciativa permitiu criar uma rede de difusão de produtores que vivem dos recursos naturais Cerrado, proporcionando a realização de negócios e geração de renda para essas comunidades.

A contribuição do projeto em subsidiar formuladores de políticas públicas federais, estaduais e municipais sobre estratégias e métodos para a conservação e o manejo sustentável dos recursos naturais do Cerrado se deu através da participação dos integrantes do projeto em comissões governamentais específicas ou em discussões sobre políticas públicas junto a membros do governo. Essa articulação foi intensa no GT Cerrado criado pelo Ministério do Meio Ambiente para a elaboração do Programa Cerrado Sustentável e na Câmara Técnica sobre o Cerrado e Pantanal, estabelecida pelo Conabio (Conselho Nacional de Biodiversidade), órgão assessor do Conselho Nacional de Meio Ambiente (Conama).

As informações são da assessoria de imprensa da Embrapa Cerrados.

Anúncios que podem lhe interessar


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink