Publicação

Publicação orienta na produção da fibra

IMAmt acaba de lançar o Manual de Qualidade da Fibra da Ampa
Por:
71 acessos

Com o objetivo de orientar produtores e técnicos das fazendas atendidas pela Associação Mato-grossense dos Produtores de Algodão (Ampa) na produção de uma fibra de melhor qualidade, o Instituto Mato-grossense do Algodão (IMAmt) acaba de lançar o Manual de Qualidade da Fibra da Ampa.

No texto de abertura, o presidente da Ampa, Alexandre Schenkel, fala sobre a importância de o produtor de algodão mato-grossense estar atento à qualidade da fibra como "um fator imprescindível na disputa por mercados", o que inclui a preocupação com a concorrência das fibras sintéticas.

"Qualidade de fibra é um conceito complexo que exige cuidados do início ao fim do processo produtivo: da escolha das variedades utilizadas até a primeira etapa do beneficiamento realizado em nossas fazendas ou em usinas operadas por cooperativas ou terceiros. A busca pela qualidade inclui cuidados no manejo das lavouras e na segurança, envolve capacitação da mão de obra e questões tecnológicas que ilustram bem o nível de sofisticação da cadeia produtiva do algodão", alerta.

"Conhecer detalhadamente todos esses fatores que incidem sobre a qualidade da fibra e apresentar recomendações para produção de uma fibra de qualidade foi o objetivo do Programa de Qualidade da Fibra de Mato Grosso e desse manual, a fim de auxiliar os produtores de algodão de Mato Grosso a produzir uma fibra de algodão cada vez mais bem adaptada às condições do mercado", afirma o pesquisador Jean-Louis Belot, editor técnico do Manual, na Introdução.

A publicação foi produzida em parceria com técnicos e pesquisadores de diversas instituições parceiras como o Centre de Coopération en Recherche Agronomique pour le Développement (Cirad), o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial de Santa Catarina (Senai-SC), a Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT - Campus de Rondonópolis), a Universidade do Oeste Paulista (Unoeste - Presidente Prudente) e a Universidade Estadual Paulista (Unesp - Campus de Botucatu). O Instituto Algodão Social (IAS), as cooperativas Unicotton e Cooperfibra, e a empresa Cotimes do Brasil também colaboraram para a realização do Manual.

O trabalho realizado pelo programa "Qualidade de fibra de algodão no estado de Mato Grosso ", do IMAmt, é o primeiro tema abordado em texto assinado pelo consultor Sérgio Gonçalves Dutra, Ele conduz o programa junto com o pesquisador Jean-Louis Belot desde a sua criação e inclui em seu artigo depoimentos de alguns participantes do Workshop da Qualidade do Algodão, que chegou à quinta edição em 2017.

O tema "A fibra de algodão" está presente em todos os artigos da segunda parte da publicação: ?A fibra de algodão: origem, estrutura, composição e caracterização escrito por Bruno Bachelier e Jean-Paul Gourlot, pesquisadores do Cirad; Classificação do algodão em pluma de autoria de Jorge José de Lima, representante da J.G. Cursos de Classificação de Algodão em Pluma e Têxtil Ltda.; Os laboratórios de classificação HVI no Brasil, assinado por Edson Tetsuji Mizoguchi da Associação Brasileira dos Produtores de Algodão  (Abrapa); "Considerações da Santista sobre o índice de fibra curta no algodão (SFI Short Fiber Index), de autoria de Vanessa Bellote da Santista S.A. e A qualidade da fibra do algodão de Mato Grosso, de Jean-Louis Belot.

A indústria têxtil e a qualidade da fibra é o título da terceira parte do Manual, que traz mais um artigo de Belot - Indústria têxtil, mercado mundial e qualidade de fibra para o futuro -  e um segundo artigo de Jorge José de Lima: A indústria têxtil e a qualidade da fibra de algodão.

Produzir uma fibra de qualidade é o tema da quarta parte, dividida em cinco artigos. São eles: Escolha da variedade para produção de uma fibra de qualidade dos pesquisadores do IMAmt Jean-Louis Belot e Patricia de Andrade Vilela; Desenvolvimento da planta e qualidade da fibra de autoria dos professores Fábio Rafael Echer (Unoeste), Ciro Rosolem e Juan Piero Raphael (Unesp Botucatu); Colheita, armazenamento, transporte e qualidade de fibra,  de Renildo Luiz Mion (UFMT) e Belot; Preservar a qualidade da fibra no beneficiamento de Jean-Luc Chanselme da Cotimes Brasil, e A miniusina e a escola de beneficiamento de algodão do IMAmt, de autoria de Rodrigo Sperotto, coordenador da Escola de Beneficiamento instalada no Centro de Treinamento e Difusão Tecnológica Ampa/IMAmt do Núcleo Regional Sul (Rondonópolis).

Produzir com qualidade é o tema da parte final do Manual, que conta com os artigos Segurança nos processos de produção de fibra do coordenador de Segurança do Trabalho do IMAmt Amandio Pires Jr. e A sustentabilidade na cotonicultura brasileira: programa de certificação ABR e sistema de licenciamento BCI, elaborado pelo diretor-executivo do IAS Félix Balaniuc.

Com 343 páginas, o manual está disponível para download nos sites do IMAmt e da Ampa.  Ele foi publicado com apoio financeiro do Instituto Brasileiro do Algodão (IBA), que também apoia o programa Qualidade da Fibra do Algodão no Estado de Mato Grosso.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink