Qualidade e tipicidade dos vinhos com a Indicação Geográfica Monte Belo são apresentadas

Agronegócio

Qualidade e tipicidade dos vinhos com a Indicação Geográfica Monte Belo são apresentadas

Primeiros produtos com selo da IG chegam ao mercado após cerca de três anos da conquista da certificação.
Por:
300 acessos

Primeiros produtos com selo da IG chegam ao mercado após cerca de três anos da conquista da certificação. Região compreende os municípios de Monte Belo do Sul, Santa Tereza e Bento Gonçalves

A qualidade e a tipicidade dos primeiros vinhos com a Indicação Geográfica Monte Belo foram apresentadas na noite da última sexta-feira (3), em evento que integrou a programação do Dia do Vinho 2016. Os produtos certificados com a chancela concedida pelo Instituto de Propriedade Industrial (INPI) no final de 2013  que chegam ao mercado são quatro vinhos tintos, das variedades Merlot e Tannat, dois vinhos brancos, Riesling e Chardonnay, e um espumante elaborado pelo método tradicional, no corte exclusivo da IG Monte Belo (Riesling Itálico, Pinot Noir e Chardonnay), das vinícolas Calza, Faé e Fantin. Entre as particularidades está o uso da levedura 24 MB CM06, extraída de vinhedos da área delimitada, o que confere características distintas de vinhos elaborados em outras regiões.                         

Para o diretor do Conselho Regulador da IG Monte Belo, da Associação dos Vitivinicultores de Monte Belo do Sul (Aprobelo), Roque Faé, a chegada das primeiras 5,6 mil garrafas com o selo de procedência coroam o trabalho que iniciou em 2004. "Desde as pesquisas para o uso de uma levedura nativa até o engarrafamento foram inúmeras etapas que culminaram com a chegada dos primeiros vinhos ao mercado. Esses vinhos certificados trazem a história de mais de 140 anos e a conquista da IG atesta a qualidade, originalidade e tipicidade dos nossos produtos."

O presidente do Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin), Dirceu Scottá, valorizou a qualidade da matéria-prima da região que compreende os municípios de Monte Belo do Sul, Santa Tereza e Bento Gonçalves. "O esforço de todos os produtores de uva, de vinicultores, das associações, prefeituras para chegar até aqui é enorme e é motivo de orgulho. A Indicação Geográfica é mais um instrumento que reforça  a qualidade dos nossos vinhos, que são apreciados pelos consumidores, movimentam o turismo da região e conquistam premiações em concursos do mundo inteiro", discursou.

Mauro Zanus, chefe-geral da Embrapa Uva e Vinho, destacou a aptidão da região para a elaboração de excelentes vinhos e a contribuição do vitivinicultura no mapa de um agricultura diversificada no Brasil. Zanus lembrou da oportunidade de dar visibilidade ao vinho brasileiro no Congresso Mundial da Vinha e Vinho, da OIV, que ocorre no Brasil de forma inédita, em outubro. "Neste sentido, a IG de Monte Belo vai ajudar a mostrarmos um setor forte, organizado e, principalmente, o fruto deste trabalho, que são excelentes vinhos".

Monte Belo do Sul se destaca na produção de uvas viníferas

Com aproximadamente 2,7 mil habitantes, Monte Belo do Sul tem a maior produção de uvas finas per capita de toda a América Latina, com 16 toneladas ao ano, em média. Todos o  produtos lançados foram elaborados seguindo os padrões de qualidade exclusivos desta região, controlados pelo Conselho Regulador da IG Monte Belo. Dentre eles, pode-se destacar que 100% das uvas foram produzidas na origem da área geográfica delimitada, com controle de produtividade e com padrões de maturação diferenciados. Os vinhos passaram por análises laboratoriais e sensoriais que atendem a padrões diferenciais para os vinhos desta origem.

Tanto a conquista da IG como a chegada dos primeiros vinhos ao mercado foram possíveis pelo engajamento da Associação dos Vitivinicultores de Monte Belo do Sul  (Aprobelo), da Embrapa Uva e Vinho, do Ibravin,  da Universidade de Caxias do Sul (UCS) e da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Atualmente a Aprobelo reúne 11 vinícolas, das quais três já produzem vinhos dentro das normas estabelecidas na Indicação Geográfica.   

Saiba mais sobre a IG de Monte Belo

- A área delimitada da IG Região de Monte Belo tem um total de 56,09 km², estando 80% no município de Monte Belo do Sul e o restante nos municípios de Bento Gonçalves e Santa Tereza.

- Os vinhos brancos e espumantes são elaborados com o uso exclusivo da levedura nativa 24 MBCM06, que confere características exclusivas aos produtos.

- São mais de 600 propriedades vitícolas na área delimitada formando um verdadeiro mosaico de vinhedos que ocupam 37% da área, com alta concentração de uvas viníferas de qualidade. A área delimitada possui no seu entorno um cinturão verde, formado por matas onde a declividade é acentuada. A região está diretamente exposta ao Vale do Rio das Antas, com altitude média de 485 metros (altitude mínima de 349 metros e máxima de 659 metros).

- O projeto técnico-científico de desenvolvimento da IG foi iniciado em 2004, envolvendo diversas instituições, com a coordenação da Embrapa Uva e Vinho, de Bento Gonçalves.

- 100% das uvas utilizada na elaboração dos vinhos devem ser produzidas na área geográfica delimitada.

- Os vinhedos precisam ter controle de qualidade, a maturação das uvas para vinificação precisa ter padrões diferenciados e os vinhos devem ser elaborados apenas com as variedades autorizadas e com os padrões exclusivos da região.

- Os vinhedos de Monte Belo do Sul são todos georreferenciados, garantindo o rastreamento dos produtos.

 

Informações sobre os vinhos certificados:

ESPUMANTE BRUT - CALZA
Cor palha-dourado, com reflexos esverdeados.Borbulhas numerosas, com boa persistência de espuma.Aroma agradável com notas cítricas predominantes (lima), mescladas a abacaxi, pomelo e massa de pão. Em boca é acídulo, marcante e persistente, com ótima cremosidade. Sutil toque amargo em fim de boca, que realça a peculiaridade e a qualidade do produto.Retrogosto cítr ico. Elaborado com levedura Saccharomyces cerevisiae selecionada pela Embrapa na região delimitada da IP Monte Belo.

CHARDONNAY - CALZA
Cor palha levemente dourada, brilhante. Aroma complexo de côco e especiarias, com toque floral e fundo amadeirado de muito boa qualidade. Em boca, percebe-se a excelente mescla vinho-madeira. Refrescante, leve e elegante.

MERLOT - FANTIN
Cor rubi-púrpura de média intensidade. Aroma vinoso, com toque reduzido, mesclado a aromas terrosos, vegetais e de musgo. Em boca o ataque é macio, sendo suplantado pela tanicidade com leve adstringência.Fim de boca algo amargo, mas o conjunto é interessante.

MERLOT - FAÉ
Cor razoavelmente intensa, de matiz púrpura levemente amarronzada. Aroma agradável intenso, levemente amadeirado, sobressaindo-se notas de licor, ameixa seca, uva passa e compota. Em boca tem boa estrutura, com tanicidade presente, leve adstringência e boa acidez. Retrogosto adocicado, agradável, intenso e persistente.

MERLOT - CALZA
Cor intensa, de matiz púrpura levemente amarronzada. Aroma intenso e agradável de frutas vermelhas, com toque de esmalte e fundo de café torrado. Boa mescla vinho-madeira. Adocicado, bom corpo, com taninos presentes, mas agradáveis. Fim de boca tépido,agradável e complexo.

TANNAT - CALZA
Cor púrpura escura e intensa. Aroma predominante de frutas passa (sobretudo ameixa seca),com leve nota de couro, musgo e fungo seco. Em boca é complexo, encorpado, acídulo e tânico. Fim de boca intenso e agradável. Típico Tannat que mostra a qualidade desta varietal na IP Monte Belo da Serra Gaúcha.

RIESLING ITÁLICO - CALZA
Cor palha-dourada brilhante, com leve reflexo esverdeado. Aroma discreto e agradável, mescla de notas de amêndoa, flores brancas (copo de leite), aromas lácteos e mel. Em boca é elegante, leve, maduro,medianamente persistente e fácil de beber.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink