Quanto fertilizante é demais para o clima?
CI
Imagem: Divulgação
CLIMA

Quanto fertilizante é demais para o clima?

Este estudo fornece suporte para expandir o uso de créditos de carbono
Por: -Leonardo Gottems

Ajudar os agricultores ao redor do mundo a aplicar quantidades mais precisas de fertilizantes à base de nitrogênio pode ajudar a combater as mudanças climáticas. Em um novo estudo publicado no  Proceedings of the National Academy of Sciences  nesta semana, os pesquisadores da Michigan State University fornecem uma previsão melhorada da contribuição dos fertilizantes de nitrogênio para as emissões de gases de efeito estufa em campos agrícolas. 

O estudo usa dados de todo o mundo para mostrar que as emissões de óxido nitroso, um gás de efeito estufa produzido no solo após a adição de nitrogênio, aumentam mais rápido do que o esperado quando as taxas de fertilizantes excedem as necessidades das plantações. Os fertilizantes à base de nitrogênio estimulam as emissões de gases de efeito estufa, estimulando os micróbios do solo a produzir mais óxido nitroso. 

O óxido nitroso é o terceiro gás de efeito estufa mais importante, atrás apenas do dióxido de carbono e do metano, e também destrói o ozônio estratosférico. A agricultura é responsável por cerca de 80% das emissões de óxido nitroso produzido pelo homem em todo o mundo, que aumentaram substancialmente nos últimos anos, principalmente devido ao aumento do uso de fertilizantes de nitrogênio. 

Iurii Shcherbak, autor principal e pesquisador da MSU, observou que a pesquisa também informa as práticas de fertilização em áreas sub-fertilizadas, como a África Subsaariana. “Como os fertilizantes não irão acelerar as emissões de óxido nitroso até que as necessidades de nitrogênio das safras sejam atendidas, mais fertilizante de nitrogênio pode ser adicionado às safras subfertilizadas com pouco impacto nas emissões”, disse ele. 

No entanto, adicionar menos nitrogênio às safras superfertilizadas em outros lugares levaria a reduções significativas nas emissões de gases de efeito estufa nessas regiões. Este estudo fornece suporte para expandir o uso de créditos de carbono para pagar os agricultores por uma melhor gestão de fertilizantes. 


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.