Queda no preço do arroz preocupa produtor do RS

Agronegócio

Queda no preço do arroz preocupa produtor do RS

Levantamento realizado pela Emater/RS indica redução de 4,91% na saca do grão, que vale R$ 21,91
Por:
1 acessos

A semana sem chuvas garantiu o avanço da colheita das culturas de verão no Rio Grande do Sul, como o arroz. Os dados do levantamento semanal da Emater/RS apontam que mais de 92% da área com o cereal já foi colhida, um avanço de 12 pontos percentuais em relação ao relatório técnico da última semana. Conforme o diretor técnico da Emater, Ricardo Schwarz, a colheita será concluída em dez dias.

Com previsão de produção de 5,28 milhões de toneladas, os produtores direcionam esforços para a comercialização. Durante a semana, o preço sofreu nova queda, desta vez de 4,91%, sendo negociado a R$ 21,91/saca. Na sexta-feira, os arrozeiros reforçaram protestos em Jaguarão, na fronteira com o Uruguai, a exemplo do movimento iniciado em 27 de abril em Aceguá. Na segunda, em Jaguarão, o setor promove ato com deputados e sindicatos em busca de soluções para a crise, citou o vice-presidente da Farsul, Francisco Schardong.

Confirmando as expectativas tanto da Farsul quanto da Federarroz, o segundo Leilão de Prêmio de Risco de Arroz, na sexta-feira, apresentou maior adesão do que o realizado há dez dias. As indústrias beneficiadoras e o comércio gaúcho e catarinense se credenciaram para receber até R$ 3,00 de prêmio na compra do produtor a R$ 27,00 a saca. No Estado, foram negociados 44% dos 3.148 contratos, sendo cada um de 27 t. Em SC, a adesão foi total, com habilitação nos 556 contratos. O leilão de Contrato de Opção Privado desses volumes deve ocorrer na sexta, 13. Conforme o superintendente da Bolsa Brasileira de Mercadorias no RS, Wilson Riva, problemas cadastrais impediram algumas indústrias de participar.

Na segunda-feira (09-05), representantes do setor aproveitam a vinda ao RS do diretor da Secretaria de Política Agrícola do Mapa, José Maria dos Anjos, para pressionar. O diretor de Mercados da Federarroz, Marco Aurélio Tavares, observou que o setor apresentará sugestões de adaptação dos leilões de opção privada e cobrará pregões de opção pública para 1 milhão de t. Anjos também apresentará o Plano de Safra 2005/2006 à Comissão de Agricultura da Assembléia Legislativa.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink