Quênia reconsidera proibição de transgênicos

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o nosso site e as páginas que visita. Tudo para tornar sua experiência a mais agradável possível. Leia os Termos de Uso e a Termos de Privacidade.


CI
MUNDO

Quênia reconsidera proibição de transgênicos

País está sofrendo bastante por não ter culturas tolerantes à seca
Por: -Leonardo Gottems

O Quênia está reconsiderando a proibição de importação de milho geneticamente modificado em 2019, já que mais de 1 milhão de seus cidadãos necessitam de assistência alimentar humanitária urgente devido à prolongada seca. De acordo com o governo, o país está perdendo tempo com essa proibição. 

Os moradores dos municípios de Tana River, Turkana, Marsabit, Isiolo e Garissa enfrentam grave escassez de alimentos e água devido à prolongada seca, informou o departamento meteorológico do Quênia em março. "Por que não podemos permitir que variedades tolerantes à seca sejam plantadas em Turkana, Pokot e Kitui?", Perguntou Florence Mutua, membro do Parlamento do condado de Busia. “Nós teríamos comida segura se o fizéssemos. Estamos apenas perdendo tempo discutindo a tecnologia OGM. Temos capacidade e inteligência para implantar a tecnologia”, completa. 

"Estamos esperando por essas culturas geneticamente modificadas como ontem. Eu tenho calculado as perdas do cultivo de milho e algodão. O milho é atacado por brocas-tronco antes mesmo de produzir pendão. Mais de 13% da colheita total é destruída e agora agravada ainda mais pela seca e queda da necrose letal da lagarta do milho e do milho. Esses desafios deixam um agricultor com a opção de pulverizar até 12 vezes”, indica. 

O Quênia concluiu seus ensaios em campos confinados (CFTs) sobre o milho transgênico. A safra passará para o estágio National Performance Trials (NPT), uma vez que seja aprovada pelas agências reguladoras estaduais relevantes. O milho transgênico resistente a insetos / tolerante à seca será uma adição importante à cesta do agricultor, de acordo com o capítulo do Quênia no Fórum Aberto sobre Biotecnologia Agrícola (OFAB). 


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink