Receita com exportação de frango cresce 40% no primeiro bimestre
CI
Agronegócio

Receita com exportação de frango cresce 40% no primeiro bimestre

Por:

As exportações brasileiras de carne de frango aumentaram 40% em fevereiro em relação ao mesmo mês de 2003 e atingiram US$ 187,3 milhões, segundo dados divulgados ontem pela Associação Brasileira dos Exportadores de Frango (Abef), entidade que representa as agroindústrias. Em volume, o aumento foi muito inferior, de 6,5%, e totalizou 184 mil toneladas, informou Julio Cardoso, o presidente da entidade.

"Os preços médios do frango brasileiro no exterior aumentaram 30%", disse Cardoso. Segundo os dados da Abef, no primeiro bimestre de 2004, os preços médios das exportações brasileiras de carne de frango somaram US$ 1.030 por tonelada, em comparação aos US$ 790 por tonelada obtidos no mesmo período do ano passado.

As vendas de cortes de frango no exterior movimentaram US$ 120,4 milhões no mês de fevereiro, uma elevação de 21% na comparação com o mesmo mês de 2003, com volume embarcado de 104,8 mil toneladas, ou 14% a mais em relação a fevereiro do ano passado, informou a Abef.

No primeiro bimestre, as vendas de frango somaram US$ 361 milhões, 41% a mais em relação aos dois primeiros meses de 2003. Foram embarcados 349,5 mil toneladas, 7,8% a mais na mesma comparação.

A expectativa inicial das agroindústrias era de que as vendas de frango aumentassem 10%. Mas com a gripe de aves na Ásia e nos EUA e a possibilidade de que a Rússia possa rever o sistema de quotas de importação de carnes, as exportações brasileiras de frango poderão crescer até 15%, segundo previsão de Julio Cardoso. "As receitas podem atingir até US$ 2,2 bilhões, em relação aos US$ 2 bilhões obtidos em 2003."

As empresas de frango enfrentam um problema muito grande, com a greve dos profissionais do Sistema de Inspeção Federal, do Ministério da Agricultura, que entra hoje em seu segundo dia. Segundo Cardoso, é uma reivindicação legítima da categoria mas as exportações de frango e carnes em geral serão prejudicadas. "Algumas empresas já vão precisar paralisar seus abates a partir de amanhã (hoje)", disse.

As exportações de carnes bovina, de frango e suína movimentam US$ 4 bilhões, enquanto os recursos necessários para atender a categoria somam no máximo US$ 40 milhões. "A situação denigre a imagem do Brasil no exterior."

A paralisação dos fiscais federais provoca prejuízos diários de US$ 32 milhões só para a avicultura e o Ministério informou estar buscando alternativas que levem a um acordo com a categoria.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink