Receita da Embrapa com royalties deve aumentar 40%

Agronegócio

Receita da Embrapa com royalties deve aumentar 40%

A Embrapa espera arrecadar royalties de cerca de R$ 32 milhões no ciclo 2007/08
Por:
84 acessos

A retomada do agronegócio e a redução do uso das sementes piratas pelos produtores rurais deve contribuir para elevar as vendas de sementes certificadas. Uma das beneficiadas com a mudança do cenário no campo será a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), que espera arrecadar royalties de cerca de R$ 32 milhões no ciclo 2007/08 com licenciamentos. A estimativa é de um aumento de 40% em relação à safra anterior, disse a este jornal o gerente geral da Embrapa Transferência e Tecnologia, José Roberto Rodrigues Peres.

A estatal possui cerca de 230 cultivares, das quais 50% estão ativas, ou seja, estão licenciadas. A Embrapa lança anualmente mais de 30 novas variedades. Só em sementes transgênicas, a estatal conta com 13 variedades, sobretudo de soja com a tecnologia Roundup Ready (RR) - o único organismo geneticamente modificado (OGM) liberado para a comercialização. As variedades transgênicas já respondem por 15% da arrecadação de royalties da estatal - fatia que deve dobrar na atual safra em decorrência da liberação de novos transgênicos e do aumento da demanda por tais cultivares, conforme Peres.

No primeiro semestre deste ano, a Embrapa arrecadou royalties de R$ 7,5 milhões com o licenciamento de cultivares, ainda da safra anterior. A cifra é 15% superior à obtida em igual período do ano passado. Somando aos recursos recebidos com a venda de sementes "básicas" (R$ 1,5 milhão), a estatal teve uma receita de R$ 9 milhões no setor de sementes no semestre. Para o gerente da estatal, a cifra deve fechar este ano em R$ 23 milhões, montante de 15% maior que o ano passado.

"É um resultado satisfatório, mas ainda está aquém da potencialidade do agronegócio", enfatizou Peres. "Mas acredito que no próximo ano teremos resultados mais expressivos, crescendo 40% em função da melhora do agronegócio e das medidas do governo mais acentuadas no controle de sementes piratas e ilegais", avalia.

Peres lembrou que o resultado obtido na arrecadação de royalties nesses últimos dois anos não tem sido significativo devido ao baixo dinamismo do agronegócio, penalizado pela a depreciação do dólar ante o real. Além disso, o setor de sementes vem sendo prejudicado pelas sementes piratas e ilegais. Apesar de caírem nos últimos três anos - de 80% para os atuais 50% - as sementes piratas e ilegais ainda ocupam uma fatia importante do mercado, segundo Peres.

A estatal responde por 40% do mercado de sementes atualmente, o equivalente a 400 mil toneladas ou 10 mil de hectares. A soja é a cultura que tem mais representação na receita da Embrapa, com 80% do total dos royalties arrecadados. As variedades do milho e trigo representam 10% da receita, cada uma. A estatal arrecada royalties de 3% do preço do quilo da semente licenciada.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink