Receptores de grãos da Argentina anunciam greve de 24hrs
CME MILHO (DEZ/20) US$ 4,046 (0,55%)
| Dólar (compra) R$ 5,60 (-0,69%)

Imagem: Divulgação

ARGENTINA

Receptores de grãos da Argentina anunciam greve de 24hrs

Eles exigem melhores condições de trabalho
Por: -Leonardo Gottems
292 acessos

O Sindicato dos Receptores de Grãos e Anexos da República Argentina (URGARA) anunciou a paralisação das atividades por 24 horas em todos os portos do país que começou nesta segunda-feira, 28/09, às 00h00. A medida foi tomada “em face do fracasso da negociação” com a Câmara de Portos Privados por associações mistas e modificações no Acordo Coletivo de Trabalho (CCT). 

Além disso, o prazo da Conciliação Obrigatória expedido pela carteira trabalhista expirou em 27 de agosto, prorrogado duas vezes e sem possibilidade de prorrogação. “Depois de semanas de negociações, somos obrigados a retomar o conflito com os empresários portuários que buscam lucros extraordinários e enchem o bolso, enquanto nossos colegas se dedicam à pandemia nos portos ou lamentam a falta de trabalho no setor mais próspero do país. Não podemos permitir que a situação continue também", disse o URGARA. 

“Não vamos renunciar à nossa exigência de melhorias no poder de compra e vamos insistir na redução da jornada de trabalho, o que há muito tempo pedimos a um setor que hoje está num ano recorde de exportações e que pode dar respostas para que haja emprego para todos ”, acrescentou um comunicado. 

O sindicato cumpriu a medida de conciliação mandatória emitida pelo Ministério do Trabalho, liderada por Claudio Moroni, no dia 27 de agosto, suspendendo a greve anunciada para a abertura de joint ventures, que segundo a URGARA expiram desde julho, e a modificação do Pontos de CCT dos trabalhadores que recebem grãos dos portos. 

Entre os pontos que querem modificar o CCT estão os pedidos de "recomposição salarial, redução da jornada de trabalho, horas extras, licenças, segurança e higiene, sistema de relações de trabalho, condições de vida, Imposto de Renda (lembre-se que somos essenciais) e priorizar a tarefa dos nossos colegas”, conclui. 

Anúncios que podem lhe interessar


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink