Recuperação de pastagem degradada é tema de capacitação na Embrapa

Agronegócio

Recuperação de pastagem degradada é tema de capacitação na Embrapa

A Embrapa realizou um curso de recuperação de pastagens degradadas utilizando o guandu BRS Mandarim
Por:
366 acessos

A Embrapa Pecuária Sudeste (São Carlos) realizou, na última sexta-feira (11), um curso de recuperação de pastagens degradadas utilizando o guandu BRS Mandarim. Cerca de 40 pessoas, entre técnicos e produtores rurais, passaram o dia assistindo a palestras e demonstrações práticas da utilização correta da leguminosa, que, de acordo com a analista Lívia Mendes de Castro, do setor de Transferência e Tecnologia, tem baixo custo de implantação e é de fácil manejo.

O curso foi dividido em duas partes. No período da manhã, os pesquisadores Rodolfo Godoy e Patrícia Anchão falaram sobre as características da cultivar BRS Mandarim, formas de adubação e as vantagens da utilização da forrageira para recuperação de pastagens degradadas. Já no período da tarde, os alunos conheceram a Unidade Demonstrativa instalada na Embrapa e participaram de uma dinâmica de plantio e roçada.

O proprietário rural Marcelo dos Santos, de Itapetininga (SP), considerou a capacitação essencial, já que pretende instalar uma Unidade Demonstrativa do BRS Mandarim em sua propriedade. Ele destacou que a utilização da cultivar poderá resultar em um ótimo retorno financeiro e o custo-benefício compensa.

Para ele, a avaliação econômica apresentada durante a capacitação foi importante para sua decisão de implantar o guandu em sua propriedade. "O plantio da leguminosa reduz a necessidade de manejo, apresenta boa qualidade de forragem e, acima de tudo, é mais viável economicamente. Quanto mais a gente planta, mais a gente ganha, isso é ótimo para o produtor", salientou.

Segundo Lívia, a turma demonstrou grande interesse na tecnologia. "Eles tiraram muitas dúvidas relacionadas a necessidades diferentes, o que acrescenta na formação de cada um. É gratificante saber que o retorno do curso foi positivo", ressalta.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink