Rede de pesquisa apresenta indicadores de solo e água em Curitiba

Agricultura

Rede de pesquisa apresenta indicadores de solo e água em Curitiba

Rede monitora áreas de 12 microbacias localizadas em cinco estados da região Centro-Sul do país
Por:
126 acessos

A Rede de Pesquisa SoloVivo, liderada pela Embrapa Solos (Rio de Janeiro, RJ), em parceria com a Itaipu Binacional, busca desenvolver ferramentas para a avaliação do manejo em Sistema Plantio Direto (SPD), tanto em propriedades rurais como nas microbacias hidrográficas. Nos dias 03 e 04 de abril a equipe do projeto vai se reunir em Curitiba (PR). A Rede monitora áreas de 12 microbacias localizadas em cinco estados da região Centro-Sul do país.

O pesquisador da Embrapa Solos, Luís Carlos Hernani, coordenador da SoloVivo, vê espaço para o aprimoramento do SPD, pois “em muitas situações o manejo adotado apresenta problemas como cultivo continuado de monoculturas, biodiversidade mínima, pouca cobertura de solo, semeadura em linha reta e, muitas vezes, morro abaixo e até eliminação de terraços". Com isso, a erosão tem voltado em áreas onde há muito não ocorria.

A equipe da rede de pesquisa desenvolveu, entre outros indicadores, o Diagnóstico Rápido da Estrutura do Solo (DRES), um método para a avaliação da qualidade da estrutura baseado nas condições gerais da gleba avaliada, relativas à conservação ou degradação do solo e em características detectadas visualmente em amostras dos primeiros 25 cm do solo. São observados tamanho e forma dos agregados e torrões, presença ou não de feições de compactação ou outra modalidade de degradação do solo, forma e orientação das fissuras, rugosidade das faces de ruptura, resistência à ruptura, distribuição e aspecto do sistema radicular e de evidências de atividade biológica. A partir desses critérios, atribui-se uma pontuação de 1 a 6, onde a maior nota significa a melhor condição da estrutura. Com isso, o usuário pode tomar as decisões mais adequadas no sentido de estabelecer o uso pleno do SPD.

Os pesquisadores da Rede visam também adaptar e validar o Indicador de Qualidade Participativa (IQP) em Sistema Plantio Direto, que, desenvolvido inicialmente na bacia do Paraná 3, está sendo avaliado nas outras regiões em monitoramento da Rede no Centro-Sul do Brasil. O Índice de Dissipação de Erosividade que avalia a qualidade da gestão de solo e água no âmbito de bacias hidrográficas é outra ferramenta em desenvolvimento pela equipe da SoloVivo. "Também temos utilizado experimentos de longa duração, alguns conduzidos há mais de 30 anos, que permitem a validação dos indicadores em desenvolvimento e de onde vem recomendações específicas de culturas alternativas e de integrações lavoura-pecuária-floresta que induzirão o aumento da diversidade vegetal e da intensificação do uso da terra, com melhorias da qualidade do manejo do SPD e aumento da sustentabilidade agrícola”, diz Hernani.

Outros atributos do solo, como os biológicos e outras tecnologias como o uso de drones para detecção de ocorrências de erosão em áreas de plantio direto, também serão debatidos no workshop que vai receber pesquisadores de muitas instituições, como a Federação Brasileira de Plantio Direto e Irrigação (FEBRAPDP) e diversas universidades.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink